Logo Observador
Terrorismo

Compromisso de Portugal com missão da UE no Mali “continua a ser total”

O ministro dos Negócios Estrangeiros assegura que o compromisso com a missão da União Europeia no Mali "continua a ser total", apesar da morte de "um valoroso e bravo sargento do Exército português".

MÁRIO CRUZ/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O ministro dos Negócios Estrangeiros assegurou hoje, no Luxemburgo, que o compromisso de Portugal com a missão da União Europeia (UE) no Mali “continua a ser total”, apesar da morte de “um valoroso e bravo sargento do Exército português”.

Augusto Santos Silva, que representou hoje Portugal no Conselho de Negócios Estrangeiros da UE, disse aos jornalistas que, no quadro de um debate e adoção de conclusões sobre o combate ao terrorismo, assegurou aos seus homólogos europeus que Portugal continua totalmente empenhado em contribuir para a cooperação regional, da UE “com outras organizações multilaterais, com os seus parceiros no norte de África, no Médio Oriente, no Corno de África e também no Sahel”.

“Eu tive oportunidade de dizer, em nome do Governo e do Estado português, que o nosso compromisso com a cooperação europeia com o Sahel é total, e por isso o nosso compromisso com as missões da UE no Sahel é total, e por isso o nosso compromisso com a missão de treino no Mali continua a ser total, mau grado o incidente, o ataque terrorista à missão da UE no Mali, de que uma das vítimas é um valoroso e bravo sargento do Exército português”, declarou.

O chefe de diplomacia indicou que recebeu “a solidariedade” dos seus colegas “em razão desta vítima portuguesa do ataque terrorista que ontem [domingo] ocorreu em Bamako, capital do Mali, contra a missão de treino da UE”.

A chefe de diplomacia europeia, Federica Mogherini, lamentou hoje a morte de um militar português no Mali, expressando as suas condolências e também o “respeito, admiração e apreço” pelo trabalho da Missão de Treino da União Europeia no Mali.

Numa conferência de imprensa durante uma reunião de ministros dos Negócios Estrangeiros dos 28, a Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança começou a sua intervenção lamentando a morte de dois membros da missão da UE no Mali, um dos quais o militar português.

“Disse hoje de manhã que havia possibilidade de haver vítimas europeias. Infelizmente, posso confirmar que houve duas vítimas entre os nossos colegas da União Europeia: uma vítima portuguesa, que fazia parte da missão de formação a UE em Bamako, que visitei há duas semanas no Mali, e um colega natural do Mali que trabalhava para a delegação europeia”, afirmou.

A chefe de diplomacia europeia disse querer “transmitir não só as condolências, mas também o respeito e admiração e apreço de toda a UE e também dos nossos colegas do Mali e do Sahel pelo trabalho que os nossos colegas fazem na região, e em particular em Bamako”.

O sargento-ajudante Paiva Benido, morto no Mali na sequência de um ataque terrorista no domingo, é o vigésimo militar a morrer em missões exteriores de forças portuguesas desde 1992.

O ataque ocorreu pelas 16:00 de domingo, no Hotel Le Campement Kangaba, nas imediações de Bamako, um local de convívio e repouso autorizado pela missão para ser usado nos períodos em que os militares não estão em atividade operacional.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Terrorismo

Basta!

Gonçalo Dorotea Cevada

Que suposta superioridade moral é essa que não nos permite admitir que o problema não está na suposta falta de integração social, mas na propaganda feita por certas mesquitas localizadas na Europa?

Terrorismo

Do lado de dentro da janela

Helena Matos
192

Tudo resultou em mais gritos Alá é grande”, mais carrinhas descontroladas afinal conduzidas por mão firme, mais lobos solitários que tinham quem os apoiasse. Mas "Nós não temos medo". Claro que temos