Arqueologia

Descoberto túmulo de um líder viking ao lado dos seu barco, espada e cão

1.389

O corpo de um grande líder viking foi encontrado na Islândia ao lado do seu barco, da espada e das ossadas do seu cão. Esta é uma descoberta rara que testemunha os tempos da colonização da Islândia.

Wikimedia Commons

Uma equipa de arqueólogos islandeses descobriu os túmulos de quatro líderes vikings a norte da cidade de Akureyri, um importante sítio arqueológico da Islândia. Entre eles está aquele que pode ser um dos líderes mais influentes e ricos, já que as suas ossadas foram encontradas enterradas ao lado do seu cão de estimação, de uma espada e de um barco. Os quatro homens devem ter morrido entre os séculos IX e X, noticia o El Español.

Esta é uma descoberta importante porque raramente se encontram túmulos de membros vikings ao lado de objetos usados em vida, muito menos com a dimensão de um barco. As tumbas foram encontradas na região de Dysnes, a menos de um quilómetro de Gáseyri, um importante ponto de passagem comercial ao pé do fiorde de Eyjafjördur. Esta descoberta torna-se ainda mais significativa porque testemunha parte da História da região, já que a Islândia foi colonizada por vikings no século IX, época de que datam estes túmulos.

O barco seria muito valioso por ser feito de madeira (um produto muito caro para a época na Islândia), mas encontra-se danificado pela erosão provocada pelo mar. Ainda assim, este é apenas o décimo barco-túmulo encontrado na Islândia. Também a espada deixa adivinhar que o homem ali enterrado seria muito respeitado: naquela época, raramente eram enterrados corpos ao lado das suas armas. A descoberta mais recente de uma espada viking enterrada ocorreu em setembro do ano passado quando Björn Árni Valdimarsson e outros quatro caçadores se aventuraram pelo sul da Islândia e descobriram a arma por acaso e já a descoberto. Análises científicas posteriores permitiram descobrir que a espada era do século X.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Incêndios

A estética da paisagem e a poesia da natureza

António Covas
410

Os agricultores foram convencidos de que eram uns labregos. A política foi de desprestígio do mundo rural com base a ideia de que era inferior ao mundo urbano. Vale pois a pena evocar Ribeiro Telles. 

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site