Timor-Leste

Maioria dos partidos de Timor-Leste arranca campanha com comícios fora da capital

As legislativas de Timor-Leste vão levar quase a totalidade dos partidos a iniciar a campanha eleitoral fora da capital do país. Os 30 dias de campanha começam na terça-feira.

A campanha eleitoral para as legislativas decorre até 19 de julho

Ana Freitas/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A quase totalidade das 21 forças políticas candidatas às eleições parlamentares timorenses de 22 de julho inicia a sua campanha com comícios fora da capital timorense que, em contrapartida, receberá grande parte dos encerramentos, a 19 de julho.

Na terça-feira, quando começam os 30 dias de campanha para as legislativas, apenas o Partido Republicano (PR) e a Associação Popular Monarquia Timorense (APMT) tem previsto um comício em Díli, sendo que os restantes se espalham um pouco por todo o país.

O maior partido timorense, o Congresso Nacional de Reconstrução de Timor-Leste (CNRT) arranca a sua campanha em Suai, a 138 quilómetros sudoeste de Díli, exatamente no mesmo dia em que o seu líder, Xanana Gusmão, cumpre 71 anos. A jornada em Suai destaca-se ainda, além do comício do CNRT, pela inauguração do novo aeroporto de Suai, para já a melhor infraestrutura de transporte de Timor-Leste.

Mais perto de Díli, em Liquiçá (a oeste da capital) estará o segundo maior partido, a Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) enquanto que o terceiro em representação parlamentar, o Partido Democrático (PD) arranca a sua campanha em Lospalos, na ponta sudeste do país. É também nesta zona que estará o ex-chefe de Estado Taur Matan Ruak, que arranca a campanha do Partido da Libertação Popular (PLP) em Lautem, no que é a estreia da nova força política timorense.

A campanha eleitoral para as legislativas decorre até 19 de julho, tendo os timorenses depois dois dias de reflexão antes de votarem para eleger os 65 membros do Parlamento Nacional.

Esta semana, o Secretariado Técnico de Assistência Eleitoral (STAE) deverá anunciar o número definitivo de eleitores e de locais de votação. Tudo indica que em Timor-Leste deverão ser instalados 845 centros de votação com um total de 1.123 estações de voto. Os timorenses poderão ainda votar em três centros na Austrália (Sydney, Melbourne e Darwin) e ainda em Seul, Londres e Lisboa.

Esta semana deverão também começar a ser impressos os boletins de voto.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site