Coreia do Norte

Morreu o estudante dos EUA libertado pela Coreia do Norte

1.660

Otto Warmbier, o estudante libertado pela Coreia do Norte, morreu esta segunda-feira. O estudante tinha sido condenado a 15 anos de trabalhos forçados. Tinha 22 anos. Estava em coma há um ano.

60sfolks/Twitter

Otto Warmbier, o estudante norte-americano libertado pela Coreia do Norte, morreu esta segunda-feira por volta das 14h20 locais (19h20 em Lisboa). A informação foi revelada através da família num comunicado divulgado pelo hospital onde o estudante se encontrava internado.

É nosso triste dever informar que o nosso filho, Otto Warmbier, completou sua caminhada em casa. Cercado pela sua família, Otto morreu hoje às 14h20 da tarde”, pode ler-se no comunicado, citado pela CNN.

No comunicado, a família agradeceu ainda ao centro médico da Universidade de Cincinnati, no estado norte-americano de Ohio. Acrescentaram ainda que estão a tentar focar-se no momento em que receberam o seu filho em vez de se concentrar no momento em que o perderam.

Infelizmente, os horríveis maus tratos de que o nosso filho foi vítima pelas mãos dos norte-coreanos asseguraram que nenhum outro resultado seria possível para além daquele que presenciámos hoje”, pode ler-se ainda.

O estudante, de 22 anos, tinha sido condenado a 15 anos de trabalhos forçados depois de ter sido condenado por “atividades hostis” e conspiração contra a unidade da Coreia do Norte. O jovem tinha admitido ter roubado um cartaz decorado com uma palavra de ordem de cariz político num hotel em Pyongyang, onde estava hospedado, em janeiro do ano passado.

Warmbier chegou a Ohio, nos Estados Unidos, na passada quarta-feira, e foi imediatamente levado para o hospital. O estudante estava em coma há mais de um ano depois de ter contraído botulismo.

Estudante dos EUA libertado pela Coreia do Norte chega ao Ohio

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Estados Unidos da América

Carta da América

João Carlos Espada

Na América, está em curso um vigoroso renascimento conservador-liberal. Conseguirá a vaga conservadora em gestação na Europa acompanhar a linguagem liberal e anti-estatista da sua congénere americana?

Catalunha

A Catalunha e nós

Manuel Villaverde Cabral

Devido à política obtusa de Rajoy, uma boa parte dos catalães pretende mais do que equidade fiscal, como o governo aparentemente lhe propõe agora em troca do cancelamento do pseudo-referendo.

Autárquicas 2017

Falar de André Ventura

Alexandre Homem Cristo

Ventura está a ser sobrevalorizado – enquanto candidato e, mais ainda, enquanto intérprete de novos rumos para a direita. Um erro que, perante a tentação de leituras nacionais, será importante evitar.

Estados Unidos da América

Carta da América

João Carlos Espada

Na América, está em curso um vigoroso renascimento conservador-liberal. Conseguirá a vaga conservadora em gestação na Europa acompanhar a linguagem liberal e anti-estatista da sua congénere americana?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site