Transporte Ferroviário

Bruxelas aprova quase 90 milhões para financiar linha ferroviária entre Sines e Espanha

A Comissão Europeia anunciou a aprovação de 89,5 milhões de euros para financiar a construção do Corredor Internacional Sul, uma das ligações previstas no Plano Ferrovia 2020.

A fatia mais avultada do financiamento destina-se a desenvolver a rede ferroviária europeia, a descarbonização e a atualização dos transportes rodoviários, bem como os sistemas de transportes inteligentes

HUGO DELGADO/LUSA

A Comissão Europeia anunciou esta sexta-feira a aprovação de 89,5 milhões de euros para financiar a construção do Corredor Internacional Sul, que ligará Sines à fronteira do Caia, uma das ligações previstas no Plano Ferrovia 2020, segundo o Governo.

Para o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, este corredor, que ligará Sines e Fronteira, é um dos “projetos mais importantes” para o Plano Ferrovia 2020.

Com este financiamento, ascende a 600 milhões de euros o contributo total do Mecanismo Interligar a Europa (CEF Geral e Coesão) para o Plano Ferrovia 2020″, adianta a tutela.

As obras do troço Elvas – Fronteira, cujo concurso já foi lançado, devem iniciar-se até ao final do ano, “altura em que será posto a concurso o troço com maior investimento, que ligará Évora a Elvas”.

A Comissão Europeia anunciou também um financiamento de 1,5 milhões de euros para o troço final da A25, entre Vilar Formoso e a fronteira, de acordo com o ministério.

Estes projetos estão incluídos num pacote de 2.700 milhões de euros para 152 projetos de transportes, em apoio à mobilidade competitiva, limpa e interligada na Europa, ao abrigo do Mecanismo Interligar a Europa, a estrutura financeira da UE que apoia as redes de infraestruturas.

Este investimento não só modernizará a rede de transportes europeia, mas também virá estimular a atividade económica e promover a criação de emprego”, afirma a Comissão Europeia.

A fatia mais avultada do financiamento destina-se a desenvolver a rede ferroviária europeia (1,8 mil milhões de euros), a descarbonização e a atualização dos transportes rodoviários, bem como os sistemas de transportes inteligentes (359,2 milhões de euros), assim como a implantar sistemas de gestão do tráfego aéreo (311,3 milhões de euros).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site