Fogo de Pedrógão Grande

ANPC devia ter solicitado “em tempo útil” estação móvel das comunicações em Pedrógão Grande

Sec-Geral da Administração Interna: a Proteção Civil deveria ter solicitado "em tempo útil" uma estação móvel do sistema de comunicações quando "a situação estava a tornar-se excecional".

MARIO CRUZ/LUSA

A Proteção Civil deveria ter solicitado “em tempo útil” uma estação móvel do sistema de comunicações quando verificou que “a situação estava a tornar-se excecional” no incêndio de Pedrógão Grande, segundo a Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna.

A ANPC (Autoridade Nacional de Proteção Civil) ao verificar que a situação se estava a tornar excecional requisitando mais meios de combate ao incêndio, deveria também em simultâneo ter solicitado preventivamente a mobilização da estação móvel em tempo útil, mesmo antes de alguma estação rádio fixa se encontrar em modo local”, refere a SGMAI num relatório sobre o incêndio de Pedrógão Grande e o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) em 17 de junho.

O relatório, publicado esta terça-feira no portal do Governo, adianta que recebeu o pedido para ativar a estação móvel (base auto transportada com ligações satélite que permite conexão com a rede SIRESP) às 21h15 pelo chefe de gabinete do secretário de Estado da Administração Interna e da ANPC 14 minutos depois, tendo o procedimento sido ativado.

“Nesse momento era já impossível ter a EM (estação móvel) em Pedrógão Grande a tempo de ajudar a minorar as ocorrências que resultaram em mortes”, refere a Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI), avançando que o tempo necessário para que a EM se deslocasse e iniciasse serviço é de quatro horas.

Segundo a SGMAI, que cita a análise da ‘fita do tempo’ do incêndio da ANPC, as mortes terão ocorrido até às 22:30 do dia 17 de junho.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Incêndios

Estado de calamidade permanente

Rui Ramos

A demissão da ministra não é a solução de todos os problemas. Mas seria a solução de pelo menos um gigantesco problema: a falta de responsabilidade e de vergonha na governação. 

Incêndios

Fogo posto não é terrorismo?

José Milhazes
756

Concordo com os que dizem que a vida humana não tem preço, mas parece que há alguns dos nossos políticos que seguem o princípio estalinista de que a morte de mais do que uma pessoa é mera estatística.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site