Logo Observador
Concertos

65 mil pessoas cantam Queen em uníssono em concerto dos Green Day

9.409

Enquanto a multidão aguardava pela chegada dos Green Day, a banda pôs "Bohemian Rhapsody" a tocar. Foi música para os ouvidos de 65 mil pessoas, que cantaram em uníssono. E o resultado é arrepiante.

YouTube

Os primeiros acordes de “Bohemian Rhapsody” puseram a multidão que aguardava pelos Green Day em sentido. Já é um costume da banda tocar um dos grandes êxitos dos Queen pouco antes de entrar em palco. No festival British Summer Time, a 1 de julho em Hyde Park (Londres, Inglaterra), o ritual da banda de Billie Armstrong não falhou. Só que desta vez o resultado foi diferente: 65 mil pessoas começaram a cantar em uníssono a canção de Freddie Mercury. E o resultado, publicado no YouTube pela banda há três dias, é arrepiante.

Não houve quem desafinasse, não houve assobios impacientes, nem imperfeições de maior. Toda a gente obedeceu ao ritmo bem conhecido da música, tentou acompanhar as famosas variações da voz de Freddie Mercury e passou de agudos a graves sem grandes dificuldades. Quando a canção passa a ser dominada pelas guitarradas hard rock produzidas por Brian May e John Deacon, toda a gente começou a saltar e a abanar a cabeça, tal como mandam as regras.

O momento foi captado por uma câmara montada no palco, atrás da bateria, durante o pôr-do-sol no último sábado. Publicado na segunda-feira, o vídeo conta com 1,5 milhões de visualizações e com centenas de comentários: “Os humanos às vezes podem ser maravilhosos”, lê-se num deles. Outro acredita que Mercury ficaria orgulhoso. E outro até pergunta: “Is this the real life?”, numa referência à canção que ‘tocou’ o público repleto de fãs dos Green Day. E porque nunca é demais, fique aqui em baixo com a versão original da música publicada em 1975 para o álbum “A Night at the Opera”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Crónica

As qualidades das qualidades

Miguel Tamen

Uma acção generosa a que se chega depois de uma análise ponderada tem qualquer coisa de deliberado que a faz parecer-se com a avareza; e pensar em ter coragem é uma variedade de cobardia.