Logo Observador
Crise Política no Brasil

Temer diz que respeitará decisão dos deputados brasileiros sobre denúncia de corrupção

O Presidente do Brasil, Michel Temer, disse que irá respeitar "qualquer decisão" tomada pelo Congresso sobre o seu futuro.

Michel Temer deu uma visão geral da ligeira melhoria dos indicadores económicos nos últimos meses, facto que ele atribuiu a "decisões políticas claras" tomadas pelo seu Governo

Joedson Alves/EPA

O Presidente do Brasil, Michel Temer, disse esta terça-feira que irá respeitar “qualquer decisão” tomada pelo Congresso sobre o seu futuro, aludindo à denúncia de corrupção passiva que pode custar-lhe o cargo.

A Câmara dos Deputados [câmara baixa parlamentar] tem uma decisão muito importante para tomar nesta semana e é hora de respostas rápidas, nós vamos respeitar qualquer decisão“, disse Michel Temer numa cerimónia em que foram anunciados empréstimos de 103 mil milhões de reais (27,7 mil milhões de euros) ao setor agrícola.

Acusado de cometer o crime de corrupção passiva pelo Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o Presidente brasileiro luta para barrar a abertura de um processo contra si no Supremo Tribunal Federal (STF), uma decisão que será tomada pela câmara baixa.

Na passada segunda-feira, o deputado e relator do pedido, Sergio Zveiter, recomendou que os parlamentares aceitem a denúncia e autorizem o STF a realizar um julgamento contra Michel Temer.

Se uma maioria de dois terços dos deputados acatar o parecer do relator, o STF vai instaurar um processo criminal contra o Presidente brasileiro, que seria suspenso das suas funções durante 180 dias. Michel Temer também pode ser destituído em caso de condenação.

O chefe de Estado disse que estava convencido de que tem o “apoio do Congresso”, que tem colaborado para a aprovação de uma agenda de reformas profundas e impopulares desde maio do ano passado, quando Michel Temer assumiu o poder após o processo que levou à demissão da ex-presidente Dilma Rousseff.

Foi neste Governo que a economia se recuperou, que colocamos o país no caminho certo”, disse Michel Temer.

Segundo o Presidente, “não pode haver dúvidas sobre o compromisso das instituições” brasileiras na delicada situação política no país, mas é “necessário” notar que “há momentos em que o Brasil deveria se mover, porque não pode parar ou recuar”.

Como noutras ocasiões, Michel Temer deu uma visão geral da ligeira melhoria dos indicadores económicos nos últimos meses, facto que ele atribuiu a “decisões políticas claras” tomadas pelo seu Governo.

Temer também garantiu que o Brasil “vai continuar andando para a frente, porque este Governo tem semeado muito para mudar a direção do país e preparar uma colheita que será abundante para todos”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt