Voos

Governo turco quer ligações aéreas semanais com entre Istambul e Luanda

A Turquia solicitou o apoio de Angola para que a sua companhia aérea estatal, a Turkish Airlines, faça a ligação entre Istambul e Luanda, em dois voos semanais.

A Turkish Airlines foi eleita, em 2016, a melhor companhia aérea da Europa

SEDAT SUNA/EPA

A Turquia solicitou, esta quarta-feira, o apoio de Angola para que a sua companhia aérea estatal, a Turkish Airlines, faça a ligação entre Istambul e Luanda, numa frequência de dois voos semanais.

O interesse foi manifestado pelo ministro das Alfândegas e Comércio da Turquia, Bulent Tufencki, nas conversações com a parte angolana, para a assinatura de pré-acordos de cooperação em várias áreas de interesse comum, que decorrem em Luanda.

Pedimos já duas frequências para Luanda por semana e pedimos para o ministro dar apoio nesse quesito para que as nossas linhas aéreas da Turquia façam estas duas frequências entre Istambul e Luanda, para estreitar e melhorar as nossas relações, podendo assim chegar a Luanda da forma mais fácil possível”, disse.

O ministro turco frisou que a Turkish Airlines foi eleita, em 2016, a melhor companhia aérea da Europa, salientando que a mesma realiza voos para 31 países africanos em 48 pontos, sublinhando a importância da ligação a Luanda.

Por sua vez, o ministro da Justiça e Direitos Humanos de Angola, Rui Mangueira, e coordenador da Comissão Económica Conjunta Angola-Turquia, disse que a questão foi discutida “com alguma profundidade”.

Nós admitimos que essa possibilidade se venha a concretizar a breve trecho, é necessário que existam condições técnicas em Angola, para que este assunto seja efetivamente concretizado e vamos trabalhar neste sentido”, disse o ministro.

Rui Mangueira informou ainda que o planeamento para esta possibilidade deve ser feito no sentido de avançar tão logo estejam estabelecidas as condições técnicas e a própria empresa faça o respetivo planeamento.

Não é algo que possa ser definido com uma data, o que quer dizer que a breve trecho esse assunto será resolvido”, disse.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site