Logo Observador
Lisboa

PJ desmantela rede familiar de burlas e falsificação de documentos em Lisboa

Uma rede de burlas e falsificação de documentos foi desarticulada pela Polícia Judiciária de Lisboa, na sequência de uma investigação iniciada "há cerca de um ano".

Os cinco detidos, três homens e duas mulheres, provocaram um prejuízo "superior a um milhão de euros à empresa EDP"

TIAGO HENRIQUE MARQUES/LUSA

Uma rede de burlas e falsificação de documentos foi desarticulada pela Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa, na sequência de uma investigação iniciada “há cerca de um ano”, tendo sido detidas cinco pessoas da mesma família, foi anunciado esta quarta-feira.

Os cinco detidos, três homens e duas mulheres, provocaram um prejuízo “superior a um milhão de euros à empresa EDP”, lê-se na nota.

Este grupo controlava empresas da área da restauração, que “passaram a contratar com a EDP o fornecimento de energia elétrica para vários locais em simultâneo”, através do ‘contrato conta certa’. Todavia, o pagamento da 12.ª fatura, relativa aos acertos, nunca foi realizado, causando assim os prejuízos à empresa fornecedora de energia.

Após a investigação, a PJ apreendeu “vários elementos indiciários da prática criminosa”, assim como automóveis topo de gama.

Os arguidos, de idades compreendidas entre os 43 e os 82 anos, foram presentes a tribunal, tendo um deles ficado em prisão preventiva. Os restantes saíram em liberdade após pagamento de uma caução no valor global de trezentos mil euros.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Livros

Por uma questão de sobrevivência

Luísa Graça, Paula Cristina Marques Silva, Maria Elisabete Lima, Maria Isabel de Magalhães Pacheco e outros

Este texto é mais do que uma carta aberta – é uma manifestação desesperada de milhares de microempresas que o Governo insiste em ignorar.