Estilo

Ao segundo dia, o Super Bock Super Rock ouviu e vestiu hip hop

146

Meias a subir pelas canelas, lenços na cabeça e lentes amarelas. Foi assim o segundo dia do Super Bock Super Rock, onde hip hop não foi só tendência, foi dress code.

O hip hop foi a farda, além do estilo musical predominante no cartaz. O Parque das Nações encheu-se de fãs de Pusha T, NBC, Slow J, Akua Naru e Future, estrelas do segundo dia de Super Bock Super Rock. O estilo esteve à altura, como aliás já se esperava. Os concertos puxaram pelo streetwear mais autêntico, num dia em que, praticamente, só se ouviu falar português no recinto do festival.

Foi o dia das meias altas, dos tops desportivos e das t-shirts oversize. O dia em que as bandanas trocaram os pescoços pelas cabeças e em que os homens tiveram uma prestação bem acima da média habitual. Fora da esfera do hip hop, houve quem tivesse mantido o registo próprio. Mas até aí o público do SBSR soube brilhar. O segundo de três dias veio provar, entre outras coisas, que entre manos e bros o estilo também conta, e de que maneira.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt
Estado

O Estado e a verdade

Rui Ramos

Este é um Estado que teve seis anos José Sócrates à frente do governo, carregado de suspeitas de corrupção, mentira e conspiração contra o Estado de direito – e nada fez para esclarecer as dúvidas.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site