Logo Observador
PS

Costa elege política de “habitação acessível” como prioridade para a segunda metade da legislatura

334

O secretário-geral do PS elegeu como prioridade para a segunda parte da legislatura criar uma política de habitação que dê a possibilidade à classe média e aos jovens de arrendarem casa.

Hugo Delgado/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O secretário-geral do PS, António Costa, elegeu neste sábado como prioridade para a segunda parte da legislatura criar uma política de habitação que dê a possibilidade à classe média e aos jovens de arrendarem casa nos centros das cidades. António Costa disse ser necessário as autarquias fazerem “mais e melhor” em áreas como a saúde, educação e valorização do património, entre outras, no âmbito da descentralização de competências, para que o Governo “possa também assumir novas politicas em áreas decisivas”, como a habitação.

“Temos de ter uma política de habitação acessível para a classe média e, em particular, para as novas gerações”, que se confrontam com preços “inacessíveis” no mercado do arrendamento. Contudo, salientou, “a solução não é travar o turismo”, porque é “algo fundamental” para a economia.

Para o líder socialista, que falava esta tarde em Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, no âmbito da apresentação da candidatura de Eduardo Vítor Rodrigues à autarquia local, as cidades têm de estar “cada vez mais abertas” ao turismo e a chave agora é criar essa oferta de arrendamento acessível nos centros das cidades.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Democracia

A democracia vista por baixo

Rui Ramos

Elegemos representantes cujos primeiros compromissos não são com os cidadãos, mas com os caciques dos partidos. Vista de baixo, a democracia não é a participação de todos, mas a organização de alguns.