Logo Observador
Mercedes-Benz

Mercedes eléctricos made in China a partir de 2020

A "joint-venture" que a Daimler estabeleceu com a BBAC vai investir 655 milhões de euros numa nova fábrica de automóveis eléctricos e de baterias na China. A produção arranca em 2020.

Daimler AG

Autor
  • António Sousa Pereira

O Grupo Daimler, que integra a Mercedes-Benz, a Smart e a AMG, anunciou que vai investir, em conjunto com a chinesa BAIC Motor, através da sua joint-venture BBAC, 665 milhões de euros numa nova fábrica de automóveis eléctricos (da marca Mercedes-Benz) e de baterias na China.

Esta será a primeira unidade fabril do género que o conglomerado germânico instala fora do seu país natal, no que é considerado um passo decisivo para a implementação da sua estratégia eléctrica, de forma a conseguir satisfazer de modo flexível e eficiente o esperado aumento da procura por este género de proposta, para mais sendo a China o maior mercado automóvel do mundo e, por consequência, também para os veículos eléctricos.

A nova fábrica de baterias, em concreto, integrará a rede global de produção de baterias da Mercedes, na qual a marca prevê investir um total de cerca de mil milhões de euros, e de que fazem já parte as unidades fabris de Kamenz, inaugurada em 2010, e uma segunda fábrica, já em construção, que obrigou a um investimento de aproximadamente 500 milhões de euros. Já a fábrica de modelos eléctricos da Mercedes tem previsto iniciar a sua produção em 2020.

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt