Logo Observador
Receitas

3 snacks saudáveis para o trabalho ou a praia

Para comer a meio da tarde ou da manhã, levar na geleira ou ter na gaveta do escritório, partilhamos tês snacks saudáveis do novo livro de receitas da nutricionista Mafalda Rodrigues da Almeida.

Todas as receitas têm em comum serem saudáveis. Sim, incluindo estes brownies.

© Imagem retirada do livro "Superalimentos - Refeições com mais vida"

Barrinhas de cereais com mirtilos e camu camu

Ingredientes

Para 25 barrinhas

2 chávenas de granola sem açúcar
2 chávenas de farinha integral
1/2 chávena de açúcar mascavado
1/2 chávena de óleo de coco
1 ½ colher de bicarbonato de sódio
½ colher de chá de sal
3 chávenas de mirtilos
1 colher de sobremesa de camu camu
1 colher de sopa de amido de milho

Preparação

Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Numa taça misture a granola, a farinha, o açúcar, o bicarbonado de sódio, o camu camu e o sal. Derreta o óleo de coco e misture tudo.
Num tabuleiro rectangular grande forrado com papel vegetal coloque 2/3 da mistura de granola.
À parte misture os mirtilos com o amido de milho até ficarem bem envolvidos. Deite-os sobre a granola e sobreponha com a restante para cobrir tudo. Leve ao forno durante 20 a 25 minutos a 150ºC, ou até ficarem douradas.
Retire do forno e deixe arrefecer antes de cortar. Com uma faca grande corte cerca de 25 barrinhas.

© Imagem retirada do livro “Superalimentos – Refeições com mais vida”

Brownies de abacate com cacau

Para cerca de 15 brownies

Ingredientes

1 abacate maduro
150g de queijo quark
3 ovos
1 colher de chá de essência de baunilha
100g de açúcar mascavado
150g de farinha de coco
150g de cacau em pó
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal

Preparação

Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Num triturador reduza o abacate descascado e descaroçado a puré. Junte o queijo quark, os ovos e a baunilha e misture bem. Junte a farinha de coco, o cacau, o sal e o bicarbonato de sódio e incorpore tudo até formar uma massa uniforme.
Forre uma forma quadrada (cerca de 20 por 20 cm) com papel vegetal. Verta a massa e leve ao forno durante 25 minutos.
Deixe arrefecer um pouco e corte em quadrados. Sirva polvilhando com cacau em pó.

© Imagem retirada do livro “Superalimentos – Refeições com mais vida”

Bolinhas de goji com açaí

Ingredientes

Para cerca de 16 bolinhas

260g de bagas de goji
4 colheres de sopa de manteiga de amendoim
2 colheres de sopa de óleo de coco derretido
2 colheres de sopa de açai em pó
6 colheres de sopa de sementes de linhaça
160g de amêndoas picadas
Coco ralado para polvilhar

© Imagem retirada do livro “Superalimentos – Refeições com mais vida”

Preparação

Num picador triture as bagas goji, a manteiga de amendoim e o óleo de coco até obter uma pasta. Junte depois o açaí, as amêndoas e as sementes de linhaça e triture novamente.

Coloque o coco ralado num prato de sopa. Retire pequenos pedaços de massa com uma colher de gelado e forme bolinhas uniformes. Enrole as bolinhas no coco até que toda a superfície fique coberta e leve ao frigorífico durante 1 a 2 horas num tabuleiro com papel vegetal.

O livro foi publicado pela Chá das Cinco e custa 17,70€.

Receitas retiradas do livro “Superalimentos — Refeições com mais vida” da nutricionista Mafalda Rodrigues da Almeida (ed. Chá das Cinco),

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Justiça

Sexo forçado no tribunal

Luís Aguiar-Conraria

Não sei que idade têm os juízes, nem a juíza que votou favoravelmente este acórdão, mas, seja qual for a sua idade, envergonharam Portugal que foi, mais uma vez, e muito bem, condenado pelo TEDH.

Minorias

O machismo militante da histeria anti xenofobia

Maria João Marques

Os que gritam xenofobia perante a mais leve crítica a certas comunidades onde os maus tratos a mulheres são inerentes à cultura que tanto defendem, fizeram a sua escolha: apoiar a opressão de mulheres

Justiça

Sexo forçado no tribunal

Luís Aguiar-Conraria

Não sei que idade têm os juízes, nem a juíza que votou favoravelmente este acórdão, mas, seja qual for a sua idade, envergonharam Portugal que foi, mais uma vez, e muito bem, condenado pelo TEDH.