Crime Informático

Ataque cibernético global pode custar até 121 mil milhões de dólares

Um ataque cibernético de dimensões globais pode gerar perdas que podem chegar aos 121 mil milhões de dólares, mais do que o prejuízo causado pelo furacão Sandy de 2012.

A Loyd's estime que até 2016 estes ataques tenham custado cerca de 450 mil milhões de dólares à economia global

ROB ENGELAAR/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Um ataque cibernético de dimensões globais pode gerar perdas que podem chegar aos 121 mil milhões de dólares (cerca de 105 mil milhões de euros), mais do que o prejuízo causado pelo furacão Sandy de 2012, segundo um estudo publicado esta segunda-feira pela seguradora Lloyd’s.

O estudo procurou medir o impacto económico potencial de um ataque causado por piratas informáticos (hackers) e de outro ataque às informações guardadas na cloud (servidores virtuais), calculando que as perdas podem variar entre os 4,6 mil milhões e os 121 mil milhões de dólares (105,5 mil milhões de euros) num caso de ataque extremo.

“Devido à dificuldade em quantificar as perdas com precisão, o número pode chegar a 121 mil milhões de dólares ou ficar limitado a 15 mil milhões”, explicou a seguradora Lloyd’s, que apresentou o estudo, citada pela AFP.

Para efeito de comparação, o furacão Sandy, o segundo mais destruidor desde que começaram os registos, gerou perdas económicas avaliadas entre os 50 e os 70 mil milhões de dólares.

Os valores apresentados incluem os gastos de recuperação dos sistemas e os prejuízos causados durante um ano pela perda ou atraso nas operações informáticas que sustentam a grande maioria das empresas.

“Estima-se que até 2016 os ataques cibernéticos tenham custado cerca de 450 mil milhões de dólares às empresas em todo o mundo”, acrescenta o relatório.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Adolescentes

A adição à pornografia nos adolescentes

Pedro Afonso

A educação sexual tem sido baseada numa visão libertária, à moda dos anos 60, e em procurar diminuir os riscos associados às relações sexuais. Mas a sexualidade humana vai muito mais além disto.

Catolicismo

Sair do armário como católico

António Pimenta de Brito

Tal como não julgo um homossexual ou um muçulmano sem o conhecer, também se devia fazer o mesmo com os católicos praticantes. Não julgar antes de os conhecer. Mas será que isso acontece?

PSD

As trapalhadas de Rui Rio

João Marques de Almeida

Rio diz ter trazido uma cultura de diálogo para a política nacional e está disposto a fazer acordos com o governo mas não é capaz de colaborar com os deputados do próprio partido. É extraordinário.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site