Logo Observador
Presidente da República

PR apela à participação dos eleitores nas legislativas de sábado em Timor-Leste

O Presidente da República timorense apelou aos eleitores para que participem nas legislativas de sábado, com um grande "sentido de responsabilidade e respeito" manifestado por todos.

Lu-Olo falava no arranque de dois dias de debates entre representantes dos 21 partidos políticos concorrentes às legislativas de sábado

Antonio Cotrim/LUSA

O Presidente da República timorense apelou, esta segunda-feira, aos eleitores para que participem nas legislativas de sábado, congratulando-se pela forma ordeira como decorreu a campanha, com um grande “sentido de responsabilidade e respeito” manifestado por todos.

O ambiente de paz e estabilidade conseguido ao longo da campanha é resultado do esforço de todos”, disse Francisco Guterres Lu-Olo, num discurso em Díli.

“O futuro de cada um de nós, de cada família, de todo o povo, pode ser melhorado mas isso dependerá do exercício do nosso direito ao voto”, disse ainda.

Lu-Olo falava no arranque de dois dias de debates entre representantes dos 21 partidos políticos concorrentes às legislativas de sábado, organizados pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) em Díli e transmitidos pela televisão pública (RTTL).

Esta segunda-feira a televisão privada timorense GMN TV também transmite um debate, neste caso moderado pelo ex-Presidente José Ramos-Horta e em que participam quatro dirigentes das principais forças políticas: Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste (CNRT), Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente (Fretilin), Partido Democrático (PD) e Partido de Libertação Popular (PLP).

Todos nós temos o poder de escolher os nossos governantes através dos partidos políticos. Este poder é imenso e muito especial. Os povos de muitos países no mundo não têm o mesmo poder, porque o regime nesses países não o permite”, afirmou Lu-Olo.

“Por isso cada um de nós deverá fazer uso do seu direito de escolher os líderes do país, um direito que conquistámos quando iniciámos o nosso processo de organização como Estado e assumimos a nossa soberania”, disse ainda.

Lu-Olo saudou as duas autoridades eleitorais, o Secretariado Técnico de Assistência Eleitoral (STAE) e a Comissão Nacional de Eleições (CNE) pelo “empenho” na organização de um voto “justo e livre”, mostrando-se confiante no êxito do sufrágio.

Manifestando satisfação por ver os líderes partidários reunidos em debate, o chefe de Estado disse que foi importante durante a campanha as forças políticas darem a conhecer o seu programa e os seus objetivos.

Uma decisão, disse, que aprove o melhor programa “para reduzir a pobreza nos próximos cinco anos e promover o desenvolvimento do país”.

Apelo à vossa participação no ato eleitoral do próximo dia 22 de julho. O vosso voto é crucial. Com o vosso voto conseguiremos ampliar ainda mais a democracia e alcançar as metas de desenvolvimento”, disse.

Vamos ajudar-nos uns aos outros e trabalhar juntos, empenhados em alcançar um desenvolvimento integrado e sustentável da nossa pátria e para as gerações futuras”, afirmou.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt