Autárquicas 2017

Teresa Leal Coelho, candidata à Câmara de Lisboa e vice do PSD, repudia declarações de André Ventura sobre comunidade cigana

804

Teresa Leal Coelho, candidata à Câmara de Lisboa e vice-presidente do PSD, repudia as declarações de André Ventura, candidato a Loures. Líder do PSD de Loures reitera confiança no advogado.

HENRIQUE CASINHAS / OBSERVADOR

Teresa Leal Coelho, candidata à Câmara de Lisboa e vice-presidente do PSD, repudiou esta tarde as declarações proferidas por André Ventura, candidato à Câmara de Loures do PSD e do CDS, respeitantes à comunidade cigana.

“Repudiamos as declarações proferidas pelo candidato à Câmara de Loures respeitantes à comunidade cigana”, começa por destacar em comunicado, explicando: “Por um lado, por considerarmos que afirmações que generalizam comportamentos só perpetuam os preconceitos e estigmatizam comunidades que fazem parte integrante do tecido demográfico das nossas cidades; por outro lado, porque não nos revemos nem em pensamento, nem em discurso de natureza discriminatória”.

Dirigente do CDS pede a partido para retirar apoio a André Ventura em Loures depois de críticas a ciganos

“Defendemos uma sociedade inclusiva, solidária e justa no âmbito da qual a diversidade e a multiculturalidade devem ser plenamente respeitadas e celebradas”, conclui a missiva assinada por Teresa Leal Coelho e Marta Mucznik, mandatária da sua lista para o diálogo intercultural.

Já o presidente da concelhia do PSD de Loures, Ricardo Andrade, afirma que “o PSD reitera a confiança política em André Ventura” e que “em nenhum momento foi equacionado a retirada de apoio ao candidato”.

Em declarações ao Observador, o dirigente social-democrata acrescenta, porém, que “ao mesmo tempo que a candidatura acredita que qualquer cidadão tem os mesmos direitos independentemente da raça ou da religião, também destaca que todos têm de ter os mesmos deveres e obrigações“.

O PSD/Loures diz ainda que “para haver integração as pessoas não podem ser vetadas ao abandono” e que o PSD, nessa matéria, não recebe lições de outros partidos, já que “foram muitas as autarquias do PSD que lideraram políticas de inclusão em Lisboa e nos concelhos limítrofes”.

A defesa de André Ventura depois da polémica: “Nada me move contra a comunidade cigana”

Ricardo Andrade destaca ainda que “vivemos em democracia”, onde existe “liberdade de expressão” e, uma vez que o “candidato explicou o que queria dizer” e que “o PSD sabe muito bem o que o André Ventura pensa sobre o assunto”, não há motivo para pôr em causa a candidatura.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpantunes@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site