Venezuela

Venezuela. Governo declara ex-Presidente mexicano “persona non grata”

O Governo da Venezuela declarou no domingo o ex-Presidente mexicano Vicente Fox como 'persona non grata', anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros venezuelano, Samuel Moncada.

"Fox abusou da hospitalidade do povo venezuelano", afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros venezuelano

Cristian Hernandez/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O Governo da Venezuela declarou no domingo o ex-Presidente mexicano Vicente Fox como “persona non grata”, anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros venezuelano, Samuel Moncada.

“Como ministro das Relações Externas da Venezuela anuncio a declaração de Vicente Fox como ‘persona non grata’. Fox abusou da hospitalidade do povo venezuelano”, tendo sido “pago para promover a violência e a intervenção de potências estrangeiras”, escreveu Moncada na rede de mensagens instantâneas Twitter.

Fox “quis provocar as autoridades para armar um circo mediático que servisse os vis interesses que o contrataram”, sublinhou o responsável. “Para bem da Venezuela, o senhor Fox já não se encontra no país” e “não poderá regressar nunca mais à Venezuela”, concluiu.

Vicente Foz chegou no sábado a Caracas, juntamente com os ex-presidentes Jorge Quiroga (Bolívia), Laura Chinchilla (Costa Rica), Andrés Pastrana (Colômbia) e Miguel Ángel Rodríguez (Costa Rica), para supervisionar o processo de consulta popular contra Nicolás Maduro, conduzido pela oposição venezuelana.

Em declarações à imprensa, no domingo, Fox comparou a consulta da oposição venezuelana com a jornada eleitoral realizada há 17 anos no México, em que o Partido Revolucionário Institucional perdeu o poder.

“Lembra-me de 2 de julho do ano 2000, no México, essa grande festa democrática, assim estava o povo, assim estava a gente, cheia de alegria, de entusiasmo, de esperança. Isso é o que hoje se vive aqui”, disse, durante uma visita ao populoso bairro de Petare, no leste da capital.

Em declarações proferidas em La Califórnia Norte (leste de Caracas), Fox associou a consulta popular com “o fim da ditadura” na Venezuela.

“Passo a passo, voto a voto, a ditadura sairá. (…) Agora é a vez do povo da Venezuela dirigir este grande país, recuperar a economia, recuperar os empregos, os alimentos e os medicamentos (…) México está convosco. Viva a liberdade, a democracia, o povo da Venezuela”, disse Fox.

De acordo com a oposição venezuelana, mais de 7,1 milhões de eleitores participaram na consulta simbólica contra o projeto de constituição de uma Assembleia Constituinte apresentado pelo Presidente da Venezuela, Nicolas Maduro.

Venezuela. Mais de 7 milhões desafiam Nicolás Maduro

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Filosofia Política

O ridículo em política

Paulo Tunhas

Deveríamos dar mais atenção ao papel do ridículo em política. O que, num primeiro momento, pode ser insignificante, arrisca-se a, pouco a pouco, contribuir para a destruição da nossa vida comum.

Estado

O Estado e a verdade

Rui Ramos

Este é um Estado que teve seis anos José Sócrates à frente do governo, carregado de suspeitas de corrupção, mentira e conspiração contra o Estado de direito – e nada fez para esclarecer as dúvidas.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site