Homossexualidade

Declarações sobre homossexualidade. Ordem dos Médicos abre processo a Gentil Martins

2.363

A Ordem dos Médicos abriu um processo a Gentil Martins sobre as declarações polémicas feitas pelo cirurgião sobre a homossexualidade. O Bastonário só comenta quando houver uma decisão.

O Bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Gamarães, recusa-se a comentar o caso até haver uma decisão do Conselho Disciplinar

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Gentil Martins vai ser alvo de um processo por parte da Ordem dos Médicos na sequência das suas afirmações sobre a homossexualidade, que de acordo com a entrevista dada pelo cirurgião ao jornal Expresso, “é uma anomalia” comparável à “auto-mutilação”. A averiguação será feita pelo Conselho Disciplinar do Sul.

Estas declarações fizeram com que fosse apresentada uma queixa formal na Ordem dos Médicos contra Gentil Martins. A Ordem já tinha aberto um inquérito, mas agora passa o processo formal ao Conselho Disciplinar do Sul, que tem total autonomia e legitimidade dentro da Ordem. O que acontecerá ao cirurgião de 87 anos depende inteiramente da decisão deste órgão.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Igreja Católica

O deputado e o Cardeal

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
861

Em Portugal, não é precisa nenhuma coragem para se ‘assumir’. Mas é necessário muito valor para alguém se afirmar católico, sobretudo se for fiel ao magistério e à tradição da Igreja.

António Costa

Costa e a rábula do bom aluno

Helena Cristina Coelho

Se o plano do Governo ao acenar com estas (não tão novas) propostas de impostos europeus é cair nas boas graças da liderança europeia, está na direção certa. Só lhe falta o título de "bom aluno".

Adolescentes

A adição à pornografia nos adolescentes

Pedro Afonso

A educação sexual tem sido baseada numa visão libertária, à moda dos anos 60, e em procurar diminuir os riscos associados às relações sexuais. Mas a sexualidade humana vai muito mais além disto.

Catolicismo

Sair do armário como católico

António Pimenta de Brito

Tal como não julgo um homossexual ou um muçulmano sem o conhecer, também se devia fazer o mesmo com os católicos praticantes. Não julgar antes de os conhecer. Mas será que isso acontece?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site