Luís Marques Mendes

Taxa de desemprego. INE acusa Marques Mendes de antecipação falsa

235

Instituto Nacional de Estatísticas reagiu à divulgação antecipada feita pelo comentador este domingo sobre a taxa de desemprego de 9,4% em maio. E garante que o número já tinha sido divulgado.

MÁRIO CRUZ/LUSA

O Instituto Nacional de Estatísticas (INE) reagiu ao último comentário de Marques Mendes na SIC em que o comentador “antecipou” a taxa de desemprego do mês de maio. Num raro comunicado, o INE esclarece que a taxa de desemprego de maio, de 9,4%, já tinha sido avançada há um mês, a título de estimativa provisória.

“Em consequência, o Sr. Concelheiro de Estado o comentador da SIC, Luís Marques Mendes, não antecipou este resultado do INE. O resultado já tinha sido publicado!”. O INE vai mais longe nas críticas a Marques Mendes considerando que “esta falsa antecipação é grave na medida em que se pode gerar na opinião pública a ideia que Luís Marques Mendes tenha qualquer privilégio de acesso antecipado às estatísticas oficiais do INE, o que não sucede”.

O INE acrescenta que irá divulgar a estimativa definitiva da taxa de desemprego de maio na próxima sexta-feira, iniciando-se agora o trabalho para o apuramento final das estatísticas, pelo que ninguém pode conhecer já os resultados. A estimativa provisória aponta para uma descida da taxa face a abril.

Esta não será a primeira vez que o comentador antecipa números oficiais, do INE e de outras fontes, sobretudo do Governo, antes do seu anúncio oficial. No seu espaço de comentário ao domingo na SIC, Marques Mendes dá muitas vezes informações em primeira mão que são reproduzidas pelos órgãos de comunicação social.

Por exemplo, foi o comentário que revelou a “exceção” concedida pelo Governo à equipa liderada por António Domingues na Caixa Geral de Depósitos, no que toca à isenção da obrigação de entregar as declarações de património e rendimento. A polémica conduziu à demissão do presidente da Caixa.

A propósito do caso mais recente, o INE sublinha ainda que este tipo de afirmações pode “afetar negativamente a confiança da opinião pública sobre a forma o INE exerce a sua missão de serviço público”.

Apesar de relativamente rara, esta não é a primeira que o Instituto Nacional de Estatísticas reage publicamente à divulgação por políticos de dados que estão protegidos por segredo estatístico. Um dos casos mais polémicos envolveu membros do CDS que estavam no anterior Governo, a propósito também da antecipação de dados positivos sobre a taxa de desemprego que foram tornadas públicas pelo então vice primeiro, Paulo Portas.

Alguns membros do anterior Governo tinham acesso a alguns dados confidenciais do INE, um dia antes de serem tornada públicos, mas estavam impedidos de a divulgar. Mas esse não será o caso de Marques Mendes.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: asuspiro@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site