Logo Observador
Restaurantes

Less na Pollux. A nova vida de um dos terraços mais bonitos de Lisboa

3.070

Substituição na mítica loja de utensílios de cozinha Pollux: sai, do 8º piso, uma cafetaria medíocre e entra para o seu lugar o Less, de Miguel Castro e Silva. A belíssima vista mantém-se em campo.

A Sociedade Pollux foi fundada há 81 anos. E o respeitinho é bonito, não só pela idade em questão mas também por já ter alimentado, ainda que indiretamente, boa parte da população portuguesa. A sede da empresa, em Lisboa, não se destaca apenas pelo impressionante manancial de artigos de ménage — sobretudo cozinha –, espalhados por sete andares do edifício na Rua dos Fanqueiros. Destaca-se também pela belíssima vista sobre Lisboa, ou parte dela, alcançável a partir do oitavo piso. Vista essa, porém, que estava até há bem pouco tempo desaproveitada. Ou, digamos antes, mal servida, por uma cafetaria cujo grosso da oferta assentava em tostas e sumos engarrafados.

Mas o passado já lá vai. No lugar desse medíocre snack-bar está agora o segundo espaço do Less, conceito do chefe Miguel Castro e Silva. É, no essencial, uma réplica daquele que existe desde o final de 2015 no bar da Gin Lovers, no Príncipe Real. “O ADN é o mesmo”, confirma Castro e Silva. Há pequenas alterações, aqui e ali, como alguns pratos que não existem no primeiro espaço, caso, por exemplo, do tártaro de bacalhau ou do lombo de vazia maturada. “Aqui vamos ter grelhador, no outro espaço não”, adianta o chefe. Vão ter, sim, ainda não têm — só quando a instalação de gás ficar concluída, daqui a duas semanas. Nessa altura surgirão também na carta os risottos, que tomarão o lugar de algumas das opções frias.

Tártaro de atum com cebolete (10,50€)
(foto: © Tiago Pais / Observador)

“Trabalho com a Pollux há uns anos, eles acharam piada à onda do Less e propuseram-me vir para aqui”, conta Castro e Silva. Tal como acontece no Lumni, inaugurado o mês passado, fê-lo em parceria com a Cerger. Aqui, porém, o grosso das obras estava feito à partida pelo senhorio. “Mudámos apenas algumas coisas na sala, criámos uma espécie de zona lounge“, explica. Em breve chegará também uma vitrina refrigerada que permitirá ter um cozinheiro a preparar os tártaros na sala, à vista dos clientes que optarem pelo espaço interior.

Lombo baixo de vazia maturada (16,50€)
(foto: © Tiago Pais / Observador)

Não se estranhe, porém, se não houver muitos a fazê-lo. E isto é menos uma crítica à sala do que um elogio ao terraço, completamente renovado, do mobiliário à cobertura. A vista é boa e pode/merece ser desfrutada mesmo fora das horas de refeição — para isso há uma carta de bebidas que inclui vários cocktails clássicos, uma dúzia de vinhos a copo e até uma sangria de Porto Rosé, cuja receita Castro e Silva criou há uns tempos para outro terraço que explora, o PortoCruz, em Gaia. “Este é um espaço divertido, acho que me vai dar gozo estar por aqui”, confessa o chefe. E é bem possível que aos clientes também.

Nome: Less
Morada: Pollux, Rua dos Fanqueiros, 276, 8º (Baixa), Lisboa
Telefone: 91 320 4373
Horário: De segunda a quarta, das 10h às 20h. De quinta a sábado, das 10h às 00h
Preço Médio: 25€
Reservas: Aceitam

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Restaurantes

A ASAE ao serviço de burlões

Luís Aguiar-Conraria
3.630

A ASAE é simplesmente uma palhaçada se não tem instrumentos para lidar com os restaurantes de Lisboa que burlam turistas. Por mim, os clientes devem recusar-se a pagar - eles depois que chamem a ASAE.