Brexit

Período de transição do Brexit deve terminar em 2022

O ministro britânico da Economia disse que o período de transição entre a saída do Reino Unido da UE e a introdução de um novo acordo bilateral deve acabar no máximo em 2022.

Na sequência do referendo a 23 de junho de 2016, o Reino Unido invocou, a 29 de março último, o artigo 50.º do Tratado de Lisboa que permite a saída de um Estado-membro do bloco europeu

DAMIR SAGOLJ / POOL/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O ministro britânico da Economia, Philip Hammond, disse esta sexta-feira que o período de transição entre a saída do Reino Unido da União Europeia e a introdução de um novo acordo bilateral deve acabar no máximo em 2022.

Em declarações ao programa radiofónico Today, da BBC, Hammond disse: “Nós falámos de um ano, de dois, de três… creio que há um amplo consenso de que o processo deve estar terminado na data programada das próximas eleições legislativas, que é junho de 2022“.

O ministro acrescentou que no dia depois do Brexit, previsto para 29 de março de 2019, “muitas coisas vão parecer como são agora, e depois haverá um processo, entre a data em que deixaremos a UE e a data em que entram em vigor os novos acordos baseados nos tratados entre o Reino Unido e a União Europeia”.

O Governo britânico espera acordar um período transitório que vá desde a data de saída do bloco até à entrada em vigor do acordo bilateral que vai enquadrar a relação entre o Reino Unido e a União Europeia.

Na sequência do referendo a 23 de junho de 2016, o Reino Unido invocou, a 29 de março último, o artigo 50.º do Tratado de Lisboa que permite a saída de um Estado-membro do bloco europeu.

De acordo com o calendário do processo de saída, a data oficial de saída do Reino Unido da UE acontece dois anos após a ativação do artigo 50.º do Tratado Europeu, ou seja, a 29 de março de 2019.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Brexit

Quem disse que sair da Europa era fácil?

Diana Soller

Esperemos que o executivo britânico se reorganize depressa. Ainda que o divórcio tenha tido até agora pouco de litigioso, uma das partes põe paus na engrenagem. E nas separações todo o cuidado é pouco

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site