Marcelo Rebelo de Sousa

Presidente da República recebe hoje familiares das vítimas de Pedrógão Grande

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recebe esta terça-feira à tarde alguns familiares das vítimas do incêndio de Pedrógão Grande, que deflagrou em junho passado.

O incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos

TIAGO PETINGA/LUSA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recebe esta terça-feira à tarde uma comitiva de familiares das vítimas do incêndio que atingiu a região de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, em junho.

Depois da última reunião dos familiares das vítimas, “o Presidente da República não esperou”, disse à agência Lusa, Nádia Piazza, uma das promotoras da futura Associação de Familiares das Vítimas de Pedrógão Grande. “Contactou-nos e agendou” a audiência, que se realiza hoje, às 15h, disse.

Não esperava outra coisa do senhor Presidente da República. Tem-se comportado, desde a primeira hora, como um verdadeiro chefe de Estado. Tem dado a cara a todo o momento, tem estado no terreno e conversa com as pessoas”, sublinhou.

No Palácio de Belém, a comitiva de seis pessoas vai abordar diversas questões, como “a assunção de responsabilidades” por parte das entidades públicas, a “preocupação sobretudo com os jovens e as crianças” afetados e a necessidade de se criar uma proposta legislativa para garantir uma maior proteção dos familiares de vítimas de catástrofes, explicou Nádia Piazza.

Segundo a promotora da futura associação, os familiares pretendem que se desenvolva um mecanismo para que, face a uma catástrofe, seja criada automaticamente uma associação que represente as vítimas, como acontece em França. As expectativas para a reunião “são altas”, sublinhou.

O incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande no dia 17 de junho, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foi dado como extinto uma semana depois.

Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos no combate às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta, o equivalente a cerca de 75 mil campos de futebol. O fogo chegou ainda aos distritos de Castelo Branco, através da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra e Penela.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

Olh'ó boneco!

Helena Matos
464

O “Marcelo dos afectos” e o “Trump, pá" são os dois bonecos omnipresentes na nossa vida político-mediática. O primeiro foi eleito por nós mas não é responsável por nada. O segundo tem a culpa de tudo

PS

Candura a mais é pecado

Luís Aguiar-Conraria
163

A tradição socialista é isto, não conseguir distinguir a ética da lei. São incontáveis os governantes que, depois de o terem sido, foram trabalhar para as grandes empresas do sector energético.

IPSS

Raríssimos políticos

Maria João Marques
855

Perante tudo isto, qual a reação à esquerda? As do costume. João Galamba (palmas para a falta de originalidade) tentou colocar a culpa em cima do ministro da segurança social do governo anterior.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site