Instituto Nacional Estatística

Dormidas de estrangeiros crescem 12,1% em 2016, o dobro da subida entre portugueses

O crescimento das dormidas de estrangeiros em alojamento turístico foi o dobro do registado no número de residentes, em 2016. Este totalizou 21,3 milhões de hóspedes e 59,4 milhões de dormidas.

Nas dormidas, os mercados externos apresentaram um crescimento superior àquele do mercado interno

JEREMY LEMPIN/EPA

O crescimento das dormidas de estrangeiros no setor de alojamento turístico foi o dobro do registado no número de residentes, em 2016, com o primeiro a subir 12,1% e o segundo 6,3%, segundo dados do INE.

“As dormidas dos residentes atingiram 14,2 milhões, refletindo um crescimento de 6,3%, quando em 2015 tinham subido 5,7%”, refere a publicação Estatísticas do Turismo divulgada esta sexta-feira.

As dormidas de “estrangeiros (37,2 milhões) aumentaram 12,1%”, uma aceleração relativamente à subida de 7,5% registada em 2015, acrescenta o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O setor de alojamento turístico (hotelaria, turismo no espaço rural e de habitação e ainda o alojamento local), totalizou 21,3 milhões de hóspedes e 59,4 milhões de dormidas em 2016, correspondendo a aumentos de 11,1% e 11,6%, respetivamente.

Os estrangeiros que visitaram Portugal entraram principalmente por rodovia (55,6%), enquanto o avião foi escolhido por 41% dos turistas, chegando os restantes em navios de cruzeiro.

Cerca de 69% dos turistas não residentes chegados a Portugal vieram por lazer, recreio ou férias, as visitas a familiares ou amigos atraíram 20,3% e os motivos profissionais ou de negócios corresponderam a 8% do total.

Nas dormidas, os mercados externos apresentaram um crescimento superior àquele do mercado interno, com 13,3% e 7,8%, respetivamente, atingindo 41,9 milhões de dormidas (ou 70,6% do total), no primeiro caso e 17,5 milhões no segundo caso.

Como habitualmente, o principal mercado emissor foi o Reino Unido (22,9% das dormidas de não residentes), registando um crescimento de 11,3%”, mas os turistas franceses foram responsáveis pelo maior crescimento, ao subir 20%, e representam 10,6% do total, revela o INE.

O mercado alemão, com quase 14% do total, cresceu 11,6% e o espanhol (10,3% do total) cresceu 9,9%. Os excursionistas estrangeiros entraram em Portugal principalmente por fronteira rodoviária (90,2%) e as fronteiras marítima e aérea abrangeram 8,6% e 1,2%, respetivamente.

Segundo os dados da Organização Mundial de Turismo (OMT), citados pelo INE, em 2016, ocorreram 1,2 mil milhões de chegadas de turistas internacionais em todo o mundo, refletindo um crescimento de 3,9%.

Cerca de metade dos turistas internacionais visitaram a Europa (615,2 milhões), valor que representou um acréscimo de 2,1% face a 2015, destacando-se os aumentos no número de turistas chegados à Ásia e Pacífico (8,7%) e a África (8,2%), e a redução de chegadas ao Médio Oriente (4,1%).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site