Londres

A identidade de Jack, o Estripador, pode estar escondida num diário do século XIX

357

Várias são as teorias sobre a verdadeira identidade do assassino mais famoso de Londres, Jack, o Estripador. A mais recente aponta para a sua verdadeira identidade descoberta através de um diário.

O diário terá sido escrito em meados do século XIX, durante o reinado da rainha Vitória

WIKIMEDIA COMMONS

A verdadeira identidade de Jack, o Estripador, pode ter sido finalmente revelada. Diz o Telegraph que uma série de investigadores alega ter descoberto uma pista para a identidade do maior assassino de Londres. Os especialistas acreditam ter provado a autenticidade de um diário de meados do século XIX (do reinado da rainha Vitória), que terá sido escrito pelo próprio Jack, o Estripador.

Foi há 25 anos que foi descoberto um livro de memórias que alegava ter sido escrito por um mercador de algodão de Liverpool chamado James Maybrick. Nesse livro, publicado originalmente em 1993, James confessava os assassínios de cinco mulheres no East End de Londres e de uma prostituta em Manchester.

Dou o nome pelo qual todos me conhecem, e como a história me conhece. O vosso verdadeiro, Jack, o Estripador“, assinava o diário.

No entanto, a autenticidade desse livro foi questionada pelos especialistas. O diário veio primeiro a público através de um ex-negociante de metal de sucata chamado Mike Barrett, que afirmou ter tido acesso através de Tony Devereux, um amigo de família de James Maybrick. Devereux morreu pouco tempo depois e por isso essas informações tal como a autenticidade do diário não foram confirmados, o que levou a suspeitas sobre a sua veracidade.

Os investigadores acreditam ter descoberto provas e evidências de que esse diário é verdadeiro e levar até à casa de Maybrick. Mike Barrett terá contactado um agente literário com as palavras “Tenho o diário de Jack, o Estripador. Estariam interessados em vê-lo?” Segundo os investigadores, Barrett não era muito erudito, pelo que “uma falsificação tão sofisticada e credível [deste documento] não é plausível”. No entanto, quando o diário foi publicado isso levantou dúvidas quanto à credibilidade.

As opiniões dividiram-se: se, por um lado, houve quem defendesse que o livro continha detalhes que só o próprio assassino podia saber, outros sugeriam que o diário era apenas uma falsificação muito bem feita a partir de relatórios de imprensa da altura. As desconfianças chegaram a complicar em 1995 quando Barrett assinou uma declaração onde dizia ter forjado tudo, mas mais tarde retirou o que disse.

Apesar disso tudo, a editora nunca deixou de acreditar que o documento era verdadeiro. Com isso, acreditam que James Maybrick é a identidade mais provável para Jack, o Estripador.

A identidade de Jack, o Estripador, continua a ser um dos maiores mistérios na história criminal de Londres. Foi conhecido por ser um assassino em série nunca identificado e que atuava em Londres, pelos anos de 1888. Os casos de assassínio foram seguidos com muito interesse pelos media e várias teorias foram surgindo relativamente à sua possível identidade.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site