Desporto

A revolução de Jesus na defesa do Sporting: Ristovski assina e só sobra Coates do ano passado

É internacional macedónio, tem 25 anos, jogava como lateral direito do Rijeka e e é o 11.º reforço do Sporting. Jesus quer blindar de vez a defesa e só ficou com um jogador do ano passado: Coates.

Ristovski assinou pelo Parma aos 18 anos, andou cedido por Itália mas conseguiu afirmar-se nos croatas do Rijeka

Getty Images

O futebol tem cada vez mais uma língua universal porque o importante mesmo é encontrar formas de comunicação que superem as barreiras dos idiomas. E é isso que Jorge Jesus terá de fazer este ano na defesa do Sporting, logo o setor onde perde mais tempo durante os treinos para afinar posicionamentos: o lateral direito macedónio Stefan Ristovski é o 11.º reforço dos leões na presente temporada e foi confirmado oficialmente pelo clube.

O técnico verde e branco tem na equipa técnica adjuntos com funções muito específicas, da parte física ao estudo do adversário, passando pelas movimentações ofensivas e pelo próprio scouting. Ninguém se esquece da forma como o treinador, após a vitória dos leões no Estoril em 2016/17, contou que tinha sido ele a ensinar ao holandês como se deviam marcar penáltis. Mas é no processo defensivo que encontra a principal missão, acreditando que uma equipa que luta para ser campeã tem de ser construída de trás para a frente.

Por isso, não espanta que o plantel do Sporting tenha sofrido uma verdadeira revolução na presente temporada a nível defensivo: entraram dois lateral direitos (Piccini e Ristovski), dois centrais (Mathieu e André Pinto) e um lateral esquerdo (Fábio Coentrão), além dos regressos de Tobias Figueiredo, André Geraldes e Jonathan Silva. Contas feitas, apenas Sebatián Coates se mantém. E ainda se fala na possibilidade de poder chegar mais um defesa central, o que obrigaria ao provável (novo) empréstimo de Tobias.

Na terceira época no comando do Sporting, Jesus já fez 12 contratações para a defesa (fora as apostas internas, como Rúben Semedo ou Tobias Figueiredo): Schelotto, Coates, João Pereira, Naldo, Ciani e Marvin Zeegelaar em 2015/16; Douglas em 2016/17; Piccini, Mathieu, André Pinto, Fábio Coentrão e Ristovski, em 2017/18.

No primeiro ensaio a sério, na deslocação à Vila das Aves, a defesa com um italiano, um uruguaio, um francês e um português cumpriu. Mas, além de Piccini, Coates, Mathieu e Fábio Coentrão, ainda há Ristovski e Jonathan Silva, um macedónio e um argentino. Para Jesus, o futebol já não se compadece com nacionalidades e idades. E o que interessa é conseguir criar um modelo sistematizado que permita o ataque fazer o seu papel e brilhar, como aconteceu na estreia na Primeira Liga com Gelson Martins e Acuña (Bas Dost teve pouco jogo). Também por isso, pode não ser coincidência o facto de Jesus estar a apostar em tantos jogadores com passagem pelo Calcio, o principal laboratório tático do futebol europeu.

Formado no FK Vardar, Ristovski despertou muito cedo o interesse do Parma mas apenas reforçou o conjunto italiano quando cumpriu 18 anos. No entanto, nunca conseguiu afirmar-se na equipa, andando emprestado a Crotone, Frosinone, Bari e Latina, antes de assinar a custo zero pelos croatas do Rijeka em 2015, aproveitando também a falência financeira do Parma (tinha contrato até 2019 com a formação transalpina).

…????????

A post shared by Stefan Ristovski (@stefan_ristovski_13) on

Foi no Rijeka que se afirmou. Mais maduro, taticamente mais evoluído, assumiu de vez a titularidade na seleção da Macedónia (marcou em junho o primeiro golo pela equipa A, diante da Espanha, na qualificação para o Mundial) e fez duas épocas com 40 jogos de média, tendo alcançado a dobradinha pelos croatas na última época.

????????????????????

A post shared by Stefan Ristovski (@stefan_ristovski_13) on

A contratação foi dada como certa na Croácia por um valor a rondar os 2,25 milhões de euros, o que subiria para quase 29 milhões o valor investido pela formação verde e branca em contratações (a que deve acrescer eventuais contrapartidas que tenham ficado celebradas nos empréstimos de Mathieu, Fábio Coentrão e Doumbia), mas acabou por consumar-se por cedência temporária de uma época do Rijeka, ficando com uma cláusula de opção obrigatória mediante alguns objetivos por um valor de… 2,25 milhões de euros.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site