China

Neste restaurante chinês, o desconto depende do tamanho da copa do soutien

565

Quanto maior a copa do soutien, maior o desconto. É esta a lógica de um restaurante chinês que já foi, por isso, alvo de queixas. Os cartazes que explicavam o desconto com imagens foram já retirados.

Uma mulher que use um soutien de copa A (a mais pequena) tem direito a um desconto de 5% na refeição

diatribesandon/Twitter

Mais sobre

“A cidade inteira está à procura de SEIOS”. Este é o slogan de um restaurante chinês que oferece descontos às mulheres consoante o tamanho da copa dos soutiens e que está, por isso, a ser alvo de criticas. O restaurante é o Trendy Shrimp, localizado num centro comercial em Hangzhou, capital da província chinesa de Zhejiang.

Uma mulher que use um soutien de copa A (a mais pequena) tem direito a um desconto de 5% na refeição. Quanto maior a copa, maior o desconto. O máximo é um desconto de 65% para quem usa soutiens com a copa G. O cartaz que explica a lógica dos descontos mostra várias mulheres em desenho animado que ilustra os diferentes tamanhos das copas e o desconto correspondente.

O restaurante tem sido alvo de criticas mas isso não impediu que o negócio tivesse registado um aumento de vendas. “Assim que a promoção começou, o número de clientes aumentou cerca de 20%”, revelou Lan Shenggang, o gerente do restaurante, à BBC.

Alguns habitantes fizeram queixas do restaurante por discriminação na Câmara Municipal de Hangzhou. Os cartazes, que foram colocados no passado dia 1 de agosto, foram entretanto removidos. O gerente do espaço, ainda assim, disse que algumas das clientes que foram ao restaurante ficaram “muito orgulhosas” com o desconto.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Brexit

Quem disse que sair da Europa era fácil?

Diana Soller

Esperemos que o executivo britânico se reorganize depressa. Ainda que o divórcio tenha tido até agora pouco de litigioso, uma das partes põe paus na engrenagem. E nas separações todo o cuidado é pouco

IPSS

Raríssimas: o Estado é parte do problema

Rui Ramos

Mais do que por uma “vida de luxo”, a direcção da Raríssimas foi atraída por uma “vida de Estado”. Libertar a sociedade deste Estado gordo e promíscuo seria um meio de a libertar das piores tentações.

Brexit

Quem disse que sair da Europa era fácil?

Diana Soller

Esperemos que o executivo britânico se reorganize depressa. Ainda que o divórcio tenha tido até agora pouco de litigioso, uma das partes põe paus na engrenagem. E nas separações todo o cuidado é pouco

Crianças

Há Natais e Natais...

Rute Agulhas

Pais, mães, avós e restante família alargada. Deixemos as crianças viver a magia do Natal. Acreditar, mesmo que seja a fingir, no Pai Natal e nas renas, e na fábrica de brinquedos, e nos duendes.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site