Mundial de Atletismo

Dez anos depois, Nelson deu mais um salto. E este ficou ainda mais na história

6.256

Nelson Évora igualou Fernanda Ribeiro como atleta português com mais medalhas de sempre em Mundiais: quatro. Mais ninguém a não ser ele foi ao pódio desde 2005. O saltador faz (mais) história.

Nelson Évora igualou as quatro medalhas de Fernanda Ribeiro e é o único português em pódios de Mundiais desde 2005

AFP/Getty Images

Ouro em 2007, prata em 2009, bronze em 2015, bronze em 2017. Nelson Évora deu mais um salto, mas não foi um salto qualquer – foi um salto tão grande que lhe conferiu um lugar de maior destaque na história dos Mundiais.

Foi um salto que lhe valeu, desde logo, a quarta medalha em Campeonatos do Mundo, um feito que apenas um atleta português tinha conseguido até hoje. Neste caso, uma: Fernanda Ribeiro. Somou ouro e prata em 1995 (10.000 e 5.000 metros) e prata e bronze em 1997 (10.000 e 5.000 metros). Mais ninguém conseguiu tamanha façanha.

Foi um salto também para a 18.ª medalha portuguesa em Mundiais, sendo que, nos últimos 12 anos, apenas ele conseguiu chegar ao pódio entre os atletas nacionais. Já agora, e como nunca é demais recordar aqueles que são os nossos heróis na competição, a lista é a seguinte: Rosa Mota (maratona, 1987), Manuela Machado (maratona, 1995), Fernanda Ribeiro (10.000 metros, 1995), Carla Sacramento (1.500 metros, 1997) e Nelson Évora (triplo salto, 2007) foram ouro; Domingos Castro (5.000 metros, 1987), Manuela Machado (maratona, 1993 e 1997), Fernanda Ribeiro (5.000 metros, 1995 e 10.000 metros, 1997) e Nelson Évora (triplo salto, 2009) conquistaram a prata; Carla Sacramento (1.500 metros, 1995), Fernanda Ribeiro (5.000 metros, 1997), Carlos Calado (salto em comprimento, 2001), Rui Silva (1.500 metros, 2005), Susana Feitor (20km marcha, 2005) e Nelson Évora (triplo salto, 2015 e 2017) ganharam o bronze.

Foi um salto que o coloca como o segundo mais medalhado de sempre em Mundiais no triplo salto, apenas superado pelo britânico recordista mundial Jonathan Edwards, que ganhou ouro em 1995 e 2001, prata em 1997 e bronze em 1993 e 1999. Seguem-se Mike Conley, Christian Taylor e Will Claye, todos com três.

Foi um salto que lhe valeu a oitava medalha em grandes competições internacionais de seleções: um ouro nos Jogos Olímpicos (2008); um ouro (2007), uma prata (2009) e dois bronzes (2015 e 2017) em Mundiais ao Ar Livre; um bronze nos Mundiais de Pista Coberta (2008); dois ouros em Europeus de Pista Coberta (2015 e 2017).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site