Logo Observador
Fogo de Pedrógão Grande

PSD acusa Governo de “aproveitar-se dos donativos” para fazer campanha

1.364

Líder parlamentar do PSD diz que o Governo anda a "passear-se" pela zona dos incêndios e a fazer campanha. E pede à ministra responsabilidade política e rápida indemnização dos familiares das vítimas.

O líder parlamentar do PSD acusou esta sexta-feira o Governo de “andar a passear-se nos territórios” que arderam no final de junho e a “aproveitar-se dos donativos dos portugueses para com isso fazer a sua campanha eleitoral”.

A conferência de imprensa marcada pelo PSD visava exigir que a ministra da Administração Interna “assuma responsabilidades políticas” sobre o que se passou em Pedrógão Grande, mas Hugo Soares acabou também por responder aos socialistas sobre o “aproveitamento político” que acusam o PSD de ter feito dos mesmos fogos. O social-democrata empurra a mesma crítica para o lado de lá, em forma de pergunta: “Aproveitamento político não é o desfile constante de ministros pelos territórios afetados, o desfile do primeiro-ministro, muitas vezes com um sorriso nos lábios, como quando apresentou a equipa de sapadores, como se estivesse a fazer uma coisa que não devesse já estar feita?”. E continuou:

Aproveitamento político não é estarem a passear-se nos territórios e aproveitarem-se dos donativos dos portugueses para, com isso, fazerem a sua campanha eleitoral?”

Quanto à ministra da Administração Interna, o líder parlamentar disse que a conferência de imprensa desta quarta-feira foi “mais uma crónica jornalística do que uma conferência de imprensa”. O PSD diz que existem “mais de 15 relatórios e pareceres” sobre o que se passou em Pedrógão Grande, mas que “nenhum deles parece servir para que o Governo assuma responsabilidade”.

Pedrógão Grande. MAI abre mais um inquérito para apurar eventuais responsabilidades disciplinares

De Constança Urbano de Sousa, Hugo Soares diz que “é muito rápida a relatar factos e parece com muita vontade de querer encontrar responsáveis no Ministério que tutela, mas ainda não teve a hombridade de assumir a sua própria responsabilidade política”. Das conclusões que já se conhecem até agora, o líder parlamentar do PSD diz que “parecem apontar falhas generalizadas em vários serviços e direções gerais tuteladas pela Administração Interna. Mas nem isso serve para que a ministra assuma as suas responsabilidades”.

Mas apesar de exigirem responsabilidades, os sociais-democratas continuam a não pedir a demissão da ministra e dizem apenas que aguardam a comissão técnica independente, para tirarem as duas conclusões. A responsabilidade última, diz Hugo Soares, e é do primeiro-ministro “porque é a ele que compete escolher os ministros”. Por agora, o que o PSD pede ao Governo que “comece a indemnizar os familiares”, que encontre um “mecanismo rápido, expedito e fácil” para o fazer.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rtavares@observador.pt
Governo

Estado de calamidade

Manuel Villaverde Cabral
1.683

Continua tudo como dantes: o país está entregue ao clientelismo governamental, dependente do crescimento externo e condenado à dívida. Esta é que é a calamidade que explica as outras calamidades.

Desastres Naturais

Azar

Paulo de Almeida Sande

Quando os portugueses voltarem de férias, Portugal estará mais pobre, mais negro, mais seco, mais ferido, mais triste. Nada que o frenesim da rentrée, o fim do calor, o recomeço da bola não resolvam.