Logo Observador
Londres

Homem acusado de empurrar mulher em Londres diz que estava nos Estados Unidos

O homem que foi detido pela polícia de Londres esta semana por alegadamente ter empurrado uma mulher para a estrada, diz poder provar que, no dia do incidente, estava nos Estados Unidos.

A ponte de Putney, onde uma mulher foi empurrada por um homem para a faixa de rodagem e quase foi atropelada por um autocarro

Getty Images

O homem que foi preso na passada quinta-feira pela polícia metropolitana de Londres (Met) por, alegadamente, ter empurrado uma mulher para a faixa de rodagem enquanto fazia jogging, nega que seja ele a pessoa que aparece nas filmagens divulgadas pela polícia, lê-se no diário Guardian,

Eric Bellquist, que trabalha numa empresa de private equity, nega qualquer envolvimento no incidente que se ia transformando em acidente, já que a mulher caiu para a estrada depois do empurrão e esteve muito perto de ser atropelada por um autocarro em circulação.

Bellquist diz que o homem que se vê na ponte de Putney, no sul de Londres, a empurrar a mulher não pode ser ele porque, na altura, se encontrava nos Estados Unidos. Bellquist é cidadão norte-americano e os seus advogados dizem ter “provas irrefutáveis” que o colocam fora de Londres na altura do sucedido, em maio passado.

Bellquist trabalha para a Hutton Collins, uma firma que detém algumas cadeias de restaurantes em Londres. Antes disso, tinha trabalhado para o banco de investimento Lehman Brothers, que faliu em setembro de 2008. Os advogados esperam “uma resolução rápida” daquilo a que chamam “uma acusação completamente falsa”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt