Logo Observador
Chefs

Vestidos ou seminus, estes homens são bons… a cozinhar

202

Saber cozinhar não é o único atributo destes homens. Dos chefs aos que, simplesmente, têm dedo para a coisa, a comida está na mesa e alguns abdominais definidos também.

As receitas? Umas mais básicas do que outras. Seguidores? Às centenas de milhar. Depois do boom dos vídeos de cozinha, houve quem achasse por bem juntar um pouco mais de tempero ao preparado. E se há chefs que se mantiveram no recato das suas cozinhas, outros saltaram para as redes sociais e juntaram ao gosto pela comida a vantagem genética que se vê a olho nu. E há lugar para todos — modelos com carreira feita, ícones de estilo, personal trainers e chefs reais que, além dos inquestionáveis dotes culinários, ainda esbanjam saúde.

Quanto aos portugueses, parece que ainda têm muito que aprender. A lista dos chefs mais sexys do momento é internacional, do princípio ao fim. Não conseguimos sentir o gosto das iguarias que preparam, mas sempre dá para ver as vistas.

Franco Noriega

Tem 28 anos, é peruano e já brilhou em campanhas internacionais da Dolce & Gabbana e da Louis Vuitton. Mas a carreira de modelo acabou no dia em que Franco Noriega abriu o seu próprio restaurante, em Nova Iorque. Chama-se Baby Brasa e é onde o chef cruza receitas de frango, ingredientes saudáveis e especiarias do seu país de origem. E saúde é o que não lhe falta. Mesmo com dois restaurantes, Noriega só se tornou um fenómeno de popularidade quando começou a partilhar vídeos com pequenas receitas. Tudo normal, não estivesse o chef peruano a cozinhar só em roupa interior. Os vídeos chegaram ao YouTube no final de 2016 e o pudim de chia lidera as audiências até hoje, à frente de receitas como a taça de açaí e o ceviche de aloe vera, com mais de 519.000 visualizações. Ficamos só sem perceber se o sucesso se deve ao prato delicioso ou às cuecas de algodão, especialmente reveladoras, que Franco usa no vídeo.

Em novembro do ano passado, o chef esteve no programa de Ellen DeGeneres, aí de avental, onde confessou que, nos seus restaurantes, cozinha vestido. A par da culinária, o desporto e o exercício físico fazem parte do dia-a-dia, como aliás é fácil de constatar. Além de ex-modelo, Noriega já foi nadador olímpico.

Joe Wicks

Quem preferir pode tratá-lo por The Body Coach. Com quase 2 milhões de seguidores no Instagram, a fama de personal trainer precede-o. No Reino Unido, Joe Wicks tem sido alvo de todas a atenções, tudo porque junta programas de exercício de alta intensidade a receitas saudáveis. Tantos treinos e dietas já deram quatro livros. Os vídeos que partilha são quase todos dedicados aos programas de treino, enquanto as refeições nutritivas aparecem sobretudo no Instagram. Não há refogados em tronco nu. Neste caso, vai ter de se contentar com as fotografias dos tempos livres.

Rōze Traore

O norte-americano Rōze Traore nunca esperou pelo fim de uma carreira para começar outra, sempre foi chef e modelo ao mesmo tempo. E, aos 25 anos, já chegou longe em ambas as áreas. Na moda, continua a desfilar para Jeremy Scott e Kanye West, entre outros. Na cozinha, continua a impressionar, quer nos restaurantes por onde passa, quer em jantares privados, que já lhe têm valido alguns fãs e amigos, entre eles o designer de moda Rick Owens e o ator Michael K. Williams.

O interesse pelos ingredientes e pelos modos de confessou trouxe-o para o lado de cá do Atlântico para estudar cozinha francesa na famosa Le Cordon Bleu. A sua especialidade são as receitas saudáveis, por gosto e por necessidade, já que a insuficiência cardíaca com que nasceu não lhe permite grandes excessos.

Cesar Casier

É no Instagram que o modelo belga partilha as suas especialidades. Em 2012, com 24 anos, lançou o primeiro livro, Model Kitchen, composto por receitas saudáveis, mas também por dicas alimentares de modelos como Karlie Kloss, Milla Jovovich e Lily Donaldson. Numa entrevista à Vogue Paris, em janeiro de 2013, Cesar Casier conta que foi do pai e da tia que herdou o gosto pela cozinha e que começou cedo a fazer as suas primeiras experiências culinárias. Depois do primeiro livro, houve um segundo — Cesar’s Kitchen — e, mais recentemente, o modelo lançou a sua própria marca de roupa. Por cada peça vendida, doa 1€ para a proteção de espécies animais.

Island live!!!

A post shared by Cesar Casier (@cesar_casier) on

Adam Kenworthy

Outro defensor da comida saudável e da utilização de produtos acabados de colher. Adam Kenworthy pode não cozinhar em roupa interior, mas, acredite, toda a sua filosofia de vida compensa a falta de uma seminudez inspiradora. Antes de tudo, Adam é um desportista à séria. Já fez centenas de quilómetros a pedalar, participou em provas de triatlo, apanha umas ondas em Long Island e fez montanhismo nos Himalaias.

Start your day right. Smoothie designing for @califiafarms. Recipe up soon on @mindbodygreen ???? @donny_tsang

A post shared by Adam Kenworthy (@adamkenworthy) on

Depois, vem a comida e as receitas simples e despretensiosas. Conhecido pelos pratos coloridos, à base de flores e verduras, Kenworthly criou o Grow Bar, uma peça de design que permite cultivar pequenas espécies vegetais dentro de casa. E não fica por aqui. Tem a sua própria quinta, em Nicarágua, um projeto sem fins lucrativos dedicado à produção de fruta biológica.

Michael Chernow

Apesar da pinta, Michael Chernow nunca pisou uma passerelle. Cresceu em Nova Iorque, onde, aos 13 anos, começou a trabalhar num restaurante. “As pessoas em Nova Iorque gostam de bolas”, disse numa entrevista à GQ americana. Não ensina a cozinhar em roupa interior, mas fica a provocação, que até vem bem a propósito. Em 2010, fundou, com outro chef, o restaurante The Meatball Shop, por isso, não há cá sementes de chia, flores comestíveis nem açaí, porque a especialidade são mesmo as almôndegas.

Isaac Carew

Issac não disse adeus, mas despediu-se da cozinha com um até já. Enquanto a carreira de chef ficou em stand by, virou-se para a moda. Protagonizou campanhas da Hermès, Moschino e Valentino, mas no ano passado retomou a vocação inicial. Em dezembro de 2015, já tinha o seu próprio canal no YouTube. Chama-se The Dirty Dishes e junta receitas e exercício físico. Esqueça aqueles pratos super sofisticados. O ex-modelo britânico tem um apetite especial por refeições rápidas, comida confortável e técnicas de desenrascanço. Ao mesmo tempo, tudo pode levar um twist, até mesmo os restos do Natal. Está visto que, aos 31 anos, Issac Carew é um ótimo partido e ficou solteiro no início do ano, com o fim do namoro com a cantora Dua Lipa.

You can call me on my shell phone ???? ???? #Dirtydishes

A post shared by ISAAC CAREW (@isaaccarew) on

Matt Adlard

Em janeiro de 2016, Matt Adlard publicava o primeiro vídeo no recém criado Topless Baker. Um ano e meio depois, o canal de YouTube tem já mais de 180.000 subscrições e tudo por causa de bolos, sobremesas e alguns pratos rápidos e calóricos. Ou será que há mais qualquer coisa. Há sim, uns quantos músculos sempre à vista. Parece que Matt começou a aprender pastelaria e a ir ao ginásio mais ou menos na mesma altura, há cerca de três anos. Alguém atirou a ideia para o ar e ele agarrou-a. “Porque não juntar um pouco de picante à cozinha?”, pensou o britânico de 25 anos. A parte do picante é discutível, mas que Adlard está a dar-lhe forte no cake design, lá isso está.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt