Bloco de Esquerda

Líder do BE defende conjugação de esforços para evitar tragédias a nível de incêndios

A coordenadora do Bloco de Esquerda afirmou que é necessário conjugar os esforços de todos para evitar tragédias a nível de incêndios e apelou a que a população tenha comportamentos cautelosos.

MIGUEL PEREIRA DA SILVA/LUSA

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) afirmou este sábado que é necessário conjugar os esforços de todos para evitar tragédias a nível de incêndios e apelou a que a população tenha comportamentos cautelosos com a floresta.

Num momento em que está em vigor o estado de calamidade pública, a líder do BE visitou a aldeia de Testeira, em Vila Real, que foi recentemente afetada por um grande incêndio que ameaçou casas e queimou mato e pinhal na serra do Alvão.

Este é um fim de semana muito perigoso do ponto de vista das condições climatéricas, em que é necessário conjugar todos os esforços para evitar tragédias e é necessário que toda a população compreenda a necessidade de termos comportamentos muito cautelosos para com a floresta”, afirmou aos jornalistas.

Este está a ser, segundo Catarina Martins, um verão “particularmente difícil” para o país, que está a assistir a incêndios que atingem dimensões que já não se viam há mais de uma década.

“Estamos também perante uma seca extrema e naturalmente há uma série de problemas, até de decisões que não foram tomadas ao longo de anos, e que agora fazem com que estejamos a viver este verdadeiro pesadelo de incêndios”, frisou.

O Governo decretou calamidade pública, com efeitos preventivos, ativada às 14:00 de sexta-feira e que se prolonga até às 24:00 de segunda-feira, em cerca de 155 concelhos, sobretudo das zonas centro e interior norte do país, face ao “risco acrescido de incêndio nestes concelhos que se irá agravar progressivamente” no período de tempo abrangido.

Com o estado de calamidade em vigor, o Governo está a “tentar prevenir más notícias” e “ter todos os meios possíveis no terreno”, numa altura em que, na opinião de Catarina Martins, “quem combate os incêndios está já muito cansado”.

Por isso mesmo, para a líder do BE, todos estes homens e mulheres, bombeiros, forças de segurança ou populações, “são verdadeiros heróis”.

Questionada sobre se o estado de calamidade não devia ter sido decretado mais cedo, Catarina Martins apenas referiu que “o Governo é que tem dados, é que tem o poder executivo que lhe permite fazer essa análise”.

“Este é o momento de combate, mas não podemos deixar de dizer que a melhor forma de combater os incêndios é também a prevenção”, sublinhou. A coordenadora do BE defendeu, por isso, que a reforma da floresta tem que continuar.

Nesta visita à serra do Alvão, Catarina Martins esteve também acompanhada pelo candidato do Bloco de Esquerda à Câmara de Vila Real, Mário Gonçalves.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Autárquicas 2017

As eleições de André Ventura

Rui Ramos

Não há no que André Ventura afirmou qualquer vestígio de “racismo” ou “xenofobia”. Mas este Verão, a nossa oligarquia política precisava de inventar um Trump de palha, desse por onde desse.  

Autárquicas 2017

As eleições de André Ventura

Rui Ramos

Não há no que André Ventura afirmou qualquer vestígio de “racismo” ou “xenofobia”. Mas este Verão, a nossa oligarquia política precisava de inventar um Trump de palha, desse por onde desse.  

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site