Bloco de Esquerda

Líder do BE defende conjugação de esforços para evitar tragédias a nível de incêndios

A coordenadora do Bloco de Esquerda afirmou que é necessário conjugar os esforços de todos para evitar tragédias a nível de incêndios e apelou a que a população tenha comportamentos cautelosos.

MIGUEL PEREIRA DA SILVA/LUSA

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) afirmou este sábado que é necessário conjugar os esforços de todos para evitar tragédias a nível de incêndios e apelou a que a população tenha comportamentos cautelosos com a floresta.

Num momento em que está em vigor o estado de calamidade pública, a líder do BE visitou a aldeia de Testeira, em Vila Real, que foi recentemente afetada por um grande incêndio que ameaçou casas e queimou mato e pinhal na serra do Alvão.

Este é um fim de semana muito perigoso do ponto de vista das condições climatéricas, em que é necessário conjugar todos os esforços para evitar tragédias e é necessário que toda a população compreenda a necessidade de termos comportamentos muito cautelosos para com a floresta”, afirmou aos jornalistas.

Este está a ser, segundo Catarina Martins, um verão “particularmente difícil” para o país, que está a assistir a incêndios que atingem dimensões que já não se viam há mais de uma década.

“Estamos também perante uma seca extrema e naturalmente há uma série de problemas, até de decisões que não foram tomadas ao longo de anos, e que agora fazem com que estejamos a viver este verdadeiro pesadelo de incêndios”, frisou.

O Governo decretou calamidade pública, com efeitos preventivos, ativada às 14:00 de sexta-feira e que se prolonga até às 24:00 de segunda-feira, em cerca de 155 concelhos, sobretudo das zonas centro e interior norte do país, face ao “risco acrescido de incêndio nestes concelhos que se irá agravar progressivamente” no período de tempo abrangido.

Com o estado de calamidade em vigor, o Governo está a “tentar prevenir más notícias” e “ter todos os meios possíveis no terreno”, numa altura em que, na opinião de Catarina Martins, “quem combate os incêndios está já muito cansado”.

Por isso mesmo, para a líder do BE, todos estes homens e mulheres, bombeiros, forças de segurança ou populações, “são verdadeiros heróis”.

Questionada sobre se o estado de calamidade não devia ter sido decretado mais cedo, Catarina Martins apenas referiu que “o Governo é que tem dados, é que tem o poder executivo que lhe permite fazer essa análise”.

“Este é o momento de combate, mas não podemos deixar de dizer que a melhor forma de combater os incêndios é também a prevenção”, sublinhou. A coordenadora do BE defendeu, por isso, que a reforma da floresta tem que continuar.

Nesta visita à serra do Alvão, Catarina Martins esteve também acompanhada pelo candidato do Bloco de Esquerda à Câmara de Vila Real, Mário Gonçalves.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site