BMW

Ela viu-se num aperto. E resolveu tudo com um dedo

1.304

Dois homens acharam que se poderiam divertir à custa de uma mulher, pregando-lhe uma partida com os seus “monstruosos” veículos. Mas ela resolveu a situação com apenas um dedo (e não, não foi esse).

Autor
  • Alfredo Lavrador

Imagine uma jovem que estaciona o seu BMW Série 7 num local relativamente isolado – não só é mais fácil, como evita que lhe estraguem a pintura – de uma zona comercial, algures dos EUA. Tudo parecia encaminhado para correr bem, não fossem os dois indivíduos que resolveram pregar uma partida à senhora, “apertando” o seu BMW de tal forma que ela só poderia entrar a bordo se o fizesse pelo tejadilho.

Depois de estacionar os seus mega trucks, que parecem ser dois Ford F550 Super Duty, praticamente em cima do automóvel, deixando um espaço onde mal cabia uma folha de papel, os dois homens afastaram-se para ‘gozar o prato’. Mas, para sua surpresa, a loira resolveu a situação ao mover apenas um dedo. E não, não foi para os ofender. Foi, sim, para recorrer a uma “habilidade” do seu Série 7: o estacionamento remoto. 1 a 0 para as senhoras:

Com este equipamento opcional, que em Portugal é proposto por 570€, a jovem sacou da chave do carro, accionou esta ajuda ao estacionamento e “mandou” o Série 7 sair de marcha-atrás do aperto em que se encontrava. O vídeo mostra como:

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

A plateia dos patetas

Maria João Avillez

Um misto de leveza, manha, irresponsabilidade. Uma manipulação a partir do palco do poder para a plateia de patetas onde quem não é da geringonça é suposto estar sentado.

Agências de Rating

De BB+ para BBB-

Luís Aguiar-Conraria

A procissão ainda vai no adro. Para a Fitch e a Moody’s a dívida portuguesa anda é investimento especulativo. E, enquanto estivermos muito endividados, estaremos sujeitos aos maus humores dos mercados

Fernando Medina

Síndrome de Lisboa

Maria João Marques

O carro é um meio de transporte legítimo, os proprietários pagam impostos, pelo que têm direito a usá-lo quando assim lhes for mais confortável e conveniente, sem serem demonizados pelo edil lisboeta.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site