Brasil

Brasil confirma investigação sobre suposto massacre de índios isolados na Amazónia

168

Procuradores brasileiros estão a investigar relatos de que os garimpeiros podem ter matado índios de uma tribo isolada na Amazónia.

FERNANDO PEIXEIRO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Procuradores brasileiros estão a investigar relatos de que os garimpeiros podem ter matado índios de uma tribo isolada na Amazónia.

A Fundação Nacional do Índio (Funai), órgão responsável pela proteção dos índios do Brasil, informou em comunicado divulgado esta segunda feira que pediu aos procuradores que examinassem o assunto depois de ouvir relatos sobre um ataque contra indígenas que vivem em Vale do Javari, no Amazonas.

Os índios que podem ter sido assassinados não têm contacto com o homem branco e moram nas proximidades dos rios Jandiatuba e Jutaí, na fronteira do Brasil com o Peru, a cerca de mil quilómetros de Manaus, capital do Amazonas.

“A denúncia surgiu depois que alguns garimpeiros foram vistos no município de São Paulo de Olivença, no oeste do Amazonas, falando sobre o ataque. Servidores da Funai fizeram o primeiro levantamento e entenderam ser necessário apresentar a denúncia”, destacou aquela entidade.

Os suspeitos foram detidos para interrogatório, mas não confirmaram nenhuma morte.

“Apesar das dificuldades enfrentadas para chegar ao local (12 horas de barco no período de seca), a Funai está empenhando todos os esforços para apoiar o Ministério Público e a Polícia Federal na investigação”, concluiu a nota.

O Ministério Público Federal (MPF) do Brasil confirmou que abriu uma investigação, mas não deu detalhes sobre o caso.

Segundo a organização não governamental Survival International, a área onde pode ter ocorrido o ataque é o sítio onde existem mais tribos não contactadas na Terra.

Num comunicado, o diretor da Survival International, Stephen Corry, destacou que caso tais relatos sejam confirmados “o Presidente [Michel] Temer e seu Governo possuem uma grande responsabilidade por este ataque”.

“O corte no orçamento da Funai deixou dezenas de tribos isoladas sem defesa contra milhares de invasores – garimpeiros, fazendeiros e madeireiros – que estão desesperados para roubar e pilhar suas terras”, destacou.

“Todas estas tribos deveriam ter tido suas terras devidamente reconhecidas e protegidas há anos (…) e este suposto massacre poderia ter sido, e foi, previsto”, concluiu o diretor da Survival International.

Os povos isolados são particularmente vulneráveis e os grupos indígenas no Brasil em geral queixaram-se de que o seu modo de vida está cada vez mais ameaçado por conflitos de terra.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Identidade de Género

Totalitarismo

Paulo Tunhas

Age-se como se cada um fosse como um camaleão, pronto a se metamorfosear naquilo a que aspira. Podemos descer na escala dos seres até aos animais ou tornarmo-nos divinos, de acordo com a nossa vontade

Banca

O BES e o novo modelo de supervisão

Helena Garrido

Os casos BES e Banif não teriam acontecido se já tivéssemos o novo modelo de supervisão bancária em discussão pública? As arquitecturas de governação não mudam as pessoas nem alteram os incentivos.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site