Maquilhagem

Como poupar dinheiro em maquilhagem

Recuperar pós partidos, reutilizar as paletas de sombras que não usa, fazer com que o perfume dure mais tempo e outras dicas práticas para poupar e dar utilidade total aos produtos que tem.

Autor
  • Helena Magalhães

A grande maioria das mulheres deve ter uma gaveta cheia de maquilhagem já meio gasta, que não usa, que ficou fora de moda ou para lá esquecida no meio de outras coisas que entretanto foram sendo compradas. E a verdade é que o gesto de comprar um batom, um lápis ou uma máscara de pestanas é um pequeno luxo que dá gratificação instantânea. Em resultado, os produtos vão-se acumulando e o dinheiro vai-se gastando nem se sabe bem onde.

O que é que faz quando deixa cair um pó ao chão e o parte? Deita-o fora e compra outro? E a sua máscara de pestanas favorita que tem de comprar cinco vezes ao ano e que custa tanto quanto um par de botas? E as paletas de sombras? São práticas para o dia a dia porque têm várias opções de tons. Mas o que é que vai acontecer? Vai usar aqueles a que está habituada (normalmente os pretos, os cinzentos e os castanhos) e as outras cores vão ficando para um dia em que lhe apeteça mudar. Quando der por si, tem cinco paletes de sombras meio usadas e, ainda assim, continua a comprar mais e mais.

Como usar as cores que sobram sempre na paleta de sombras

Se na rentrée deu por si a fazer um plano de poupar até ao fim do ano, reunimos na fotogaleria uma lista de dicas práticas que vão fazer com que poupe dinheiro em maquilhagem e ainda dê utilidade total aos produtos que tem.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Angola

João Lourenço e MPLA: estamos juntos?

José Pinto

Apesar do seu debilitado estado de saúde, José Eduardo dos Santos ainda é o Presidente do MPLA. As exonerações dos seus familiares diretos dificilmente mereceram a sua aquiescência.

Caso José Sócrates

Quid custodiet custodiam?

Luís Ribeiro

Agora que o puzzle está claro, quanto será reaberto o inquérito ao crime contra o Estado de Direito para conhecermos a cumplicidade dos que então eram os mais altos responsáveis da Justiça portuguesa?

Pobreza

Amar com obras e não com palavras

P. Miguel Almeida, sj

Há uma diferença entre culpa e responsabilidade. O facto de não termos culpa de haver fome e pobreza no mundo não nos isenta da responsabilidade, simplesmente porque somos todos irmãos em humanidade.

Panteão Nacional

O sacrossanto panteão de Santa Engrácia

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
112

Se a república é laica, porque se apropriou de uma antiga igreja católica para seu panteão nacional? O laicismo não é capaz de arranjar um espaço próprio, onde sepultar os seus próceres?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site