Estados Unidos da América

Furacão Irma: pelo menos 12 mortos na Florida

Pelo menos 12 pessoas morreram no estado norte-americano da Florida devido à passagem do furacão Irma pela zona nos últimos dias, elevando o número de vítimas para 19.

ERIK S. LESSER/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Pelo menos 12 pessoas morreram no estado norte-americano da Florida devido à passagem do furacão Irma pela zona nos últimos dias, elevando o número de vítimas no país para 19, informou esta terça-feira o gabinete do governador Rick Scott.

Os últimos números divulgados pelos meios locais na Florida davam conta de sete mortos, e que não figuram na lista de 12 pessoas facilitada pelo gabinete do governador, pelo que o número definitivo de vítimas naquele estado ainda pode aumentar.

Destes 12 casos mortais relacionados com o Irma, seis deveram-se a acidentes rodoviários devido ao mau tempo, quatro pessoas morreram enquanto se preparavam para a chegada do furacão, um eletrocutado e o último de um ataque de coração enquanto tentava ligar um gerador elétrico, descreve a agência noticiosa Efe.

Estas mortes somam-se às três confirmadas no estado da Geórgia, às quatro na Carolina do Sul e às 37 nas Caraíbas, onde o Irma chegou a alcançar a categoria cinco, a máxima da escala Saffir Simpson.

O Irma, qualificado pela Organização Mundial de Meteorologia como o furacão mais forte de sempre no Atlântico, voltou a enfraquecer nas últimas horas e está agora classificado como depressão tropical, avançando na direção noroeste.

Cerca de 6,2 milhões de residentes na Florida continuam sem eletricidade.

Em muitas ilhas das Caraíbas, milhares de pessoas continuam igualmente sem eletricidade e, no caso da ilha franco holandesa de São Martinho (Saint Martin/Sint Maarten), também sem água corrente.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Alemanha

Os custos da crise alemã

Diana Soller

As questões de desentendimento dos partidos alemães predispostos a formar uma coligação são assuntos que não dizem respeito à construção (ou reconstrução ou desconstrução) europeia.

Conflito na Síria

Será que a Síria terá futuro?

José Milhazes

A propaganda russa apresenta Putin como o principal mentor e motor do processo de solução da crise na Síria. O Kremlin envolveu-se num jogo muito complicado e arriscado. E que papel terá a UE?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site