Professores

Período de permutas entre professores vai ser alargado

O período para as permutas entre docentes vai ser alargado. O ministro da Educação diz que o processo é complicado mas que está a tentar facilitar a colocação de professores.

Tiago Brandão Rodrigues garantiu estar a trabalhar para que "cada vez mais, mais professores possam estar próximo da sua área de residência"

LUÍS FORRA/LUSA

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, disse esta quarta-feira no Algarve que o período para as permutas entre docentes vai ser alargado, depois da forte contestação dos professores que foram colocados em escolas a centenas de quilómetros de casa.

Trabalharemos também para reafirmar o conjunto de ferramentas que temos disponíveis para que eles [professores] se aproximem [de casa], por exemplo, aumentando o período em que as permutas estão abertas“, referiu, em declarações aos jornalistas, não especificando quanto tempo será o alargamento.

Na terça-feira, um grupo de cerca de três dezenas de professores reclamou, junto da Assembleia da República, a suspensão do mais recente concurso de mobilidade interna, que consideram marcado por “injustiça e ilegalidades”.

Questionado pelos jornalistas sobre a situação destes professores, o governante adiantou que o período para as permutas vai ser alargado para que, por exemplo, “um professor do Norte que está colocado mais a sul possa aproximar-se de casa, permutando com outro professor da mesma disciplina”.

Tiago Brandão Rodrigues garantiu estar a trabalhar para que “cada vez mais, mais professores possam estar próximo da sua área de residência”, mas sublinhou a “complexidade” do processo, nomeadamente, por terem decorrido quatro concursos alinhados em simultâneo, o que ainda não tinha acontecido.

Segundo o governante, apesar de não ser o objeto do encontro, este será um dos temas em debate na reunião que está marcada para sexta-feira com a Federação Nacional de Educação (FNE) e a Federação Nacional dos Professores (Fenprof).

Tiago Brandão Rodrigues falava aos jornalistas na Escola Secundária de Loulé, à margem de uma visita que decorreu no último dia do arranque do ano letivo, durante a qual o ministro inaugurou uma rádio escolar. “O primeiro dia”, de Sérgio Godinho, foi a primeira música a ser emitida pela rádio, com a particularidade de ter sido escolhida pelo próprio ministro da Educação, que concedeu ainda uma pequena entrevista a um dos mentores do projeto.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Educação

Teimosias educativas

Maria João Marques
306

Caro Tiago Brandão Rodrigues, vamos lá desinquietar os professores para mudar horários e métodos de ensino. É aproveitar agora que os sindicatos estão amestrados e o PCP manda grevistas negociarem.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site