Estados Unidos da América

EUA sanciona entidades e indivíduos chineses e russos por “ajuda” à Coreia do Norte

Dez organizações e seis indivíduos chineses e russos foram sancionados pelos Estados Unidos por "ajuda" ao desenvolvimento nuclear da Coreia do Norte.

KCNA HANDOUT/EPA

Washington anunciou esta terça-feira sanções contra 10 organizações e seis indivíduos chineses e russos por considerar que contribuem para o desenvolvimento do programa nuclear da Coreia do Norte.

O Departamento do Tesouro continuará a aumentar a pressão sobre a Coreia do Norte, visando os que apoiam o desenvolvimento dos programas nuclear e balístico e isolando-os do sistema financeiro norte-americano“, advertiu o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, citado num comunicado.

É inaceitável que indivíduos ou empresas na China, Rússia ou noutros lugares permitam à Coreia do Norte obter rendimentos para desenvolver armas de destruição em massa”, adiantou.

As sanções incluem o bloqueio dos ativos nas jurisdições norte-americanas e a proibição de negócios com cidadãos dos Estados Unidos. Entre as entidades e pessoas alvo das sanções encontram-se a Dandong Rich Earth Trading e a Mingzheng International, com sede na China, e a Gefest-M LLC e o seu diretor, Ruben Kirakosyan. Esta última empresa tem sede em Moscovo.

Outras quatro empresas chinesas, duas sediadas em Singapura que vendem petróleo à Coreia do Norte e uma construtora com sede na Namíbia, completam a lista das companhias alvo das novas sanções.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site