Hotelaria

INE. Crescimento da atividade na hotelaria abranda de junho para julho

O INE anunciou que o mercado interno retomou o crescimento das dormidas enquanto que os mercados externos desceram ligeiramente. O mercado britânico continua a ser o mais forte.

Os Açores e o Alentejo são as regiões que mais cresceram

GUILLAUME HORCAJUELO/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A hotelaria registou mais 2,2 milhões de hóspedes e 6,9 milhões de dormidas em julho, correspondendo a crescimentos homólogas de 6,1% e 4,7%, contra 9,1% e 7,2% em junho, respetivamente, segundo o INE.

De acordo com os dados sobre a atividade turística de julho, produzidos pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o mercado interno retomou o crescimento das dormidas (3,0% face a -0,4% no mês anterior), enquanto os mercados externos desaceleraram (5,4% face a 10,2% em junho).

O mercado interno contribuiu com dois milhões de dormidas e os mercados externos com 4,9 milhões de dormidas. No período de janeiro a julho, as dormidas de residentes aumentaram 4,2% e as de não residentes 10,2%. A estada média (3,11 noites) diminuiu também 1,4%, enquanto a taxa de ocupação-cama (67,3%) aumentou 1,3 pontos percentuais. Os proveitos totais subiram 13,1% em termos homólogos atingindo os 428,7 milhões de euros, desacelerando face aos 17,2% observados em junho).

Os proveitos de aposento atingiram os 327,3 milhões de euros e também desaceleraram, crescendo 15,2% (19,2% em junho).

Por tipologias, sinaliza o INE, as dormidas em hotéis (64,8% do total) evidenciaram um crescimento de 5,7% e as restantes registaram evoluções maioritariamente positivas, com destaque para os apartamentos turísticos (9,8%) e as pousadas (7,4%), mas tendo os hotéis-apartamentos verificado ligeira redução (-0,5%).

Entre os principais mercados emissores, o INE destaca o comportamento do mercado britânico, que representa 23,3% das dormidas de não residentes e que estabilizou em julho (-0,1%). Nos primeiros sete meses do ano este mercado cresceu 4,3%.

O mercado espanhol foi o segundo maior mercado em julho (11% do total), apesar de ter recuado 6,2% neste mês. No período de janeiro a julho este mercado cresceu 2,5%. As dormidas de hóspedes alemães (10,5% do total) registaram aumentos de 8,3% em julho e 9,4% no período acumulado.

O mercado francês (8,4% do total) recuou pelo terceiro mês consecutivo (-5,9% em julho), mas apresentou um crescimento de 1,7% nos primeiros sete meses do ano.

Entre os principais países, destacaram-se ainda de acordo com o INE os crescimentos dos mercados brasileiro (46,2%), americano (27,8%) e italiano (18,3%).

No período de janeiro a julho sobressaíram as evoluções nos mercados brasileiro (53,6%), americano (30,0%) e polaco (27,6%), sinaliza.

Em termos regionais, em julho, observaram-se aumentos homólogos das dormidas na maioria das regiões, com destaque para os crescimentos nos Açores (18,6%), Alentejo (15,3%) e Centro (13,3%). As dormidas concentraram-se principalmente no Algarve (peso de 40,5%) e na Área Metropolitana de Lisboa (21,2%).

No conjunto dos primeiros sete meses do ano, todas as regiões apresentaram crescimentos, com destaque para as evoluções dos Açores (18,3%) e Centro (14,9%).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Identidade de Género

A Esquerda e a libertação do Homem

Pedro Morais Vaz

Vamos dar esta mensagem a jovens de 16 anos: “Ainda não tens maturidade suficiente para ingerir uma cerveja, mas não nos opomos a que troques de sexo”. Serei o único a ver algo de patológico nisto?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site