Hackers

Ministério da Saúde quer plano de contingência para ataques informáticos

Ministério da Saúde faz recomendações para melhorar a vulnerabilidade a ataques informáticos. As entidades do SNS têm até 30 dias para fazer um "plano de contingência".

SALVATORE DI NOLFI/EPA

Numa circular de 13 de setembro enviada para as Unidades Locais de Saúde, Hospitais EPE (Entidades Públicas e Empresariais), SPA (Sector Público Administrativo) e PPP (Parcerias Público Privadas) do Serviço Nacional de Saúde, o Ministério da Saúde avisa para a necessidade do reforço contra o cibercrime. Assumindo que são as “entidades menos protegidas” a nível de segurança informática, o Ministério da Saúde (MS) quer nos próximos 30 dias o envio de um Plano de Contingência referente a situações de “crise” com TIC’s (tecnologias de informação e comunicação).

As entidades às quais se dirige a circular terão de preparar um plano para garantir a funcionalidade dos sistemas em caso de ataque informático, em especial no funcionamento das urgências, cuidados intensivos, blocos operatórios, cirurgia de ambulatório e outros departamentos que se considerem “críticos”.

Além de requerer o plano de contingência, o Ministério da Saúde deixa também recomendações para um funcionamento “forte e robustecido contra o cibercrime”. Na lista de precauções deixadas aos serviços encontram-se a realização de auditorias externas a cada dois anos à segurança dos sistemas e a troca de equipamentos de 4 em 4 anos.

As razões apresentadas pela tutela para a um maior investimento na compra de novos equipamentos a cada quatro anos deparam-se com os “custos diretos e indiretos em toda a infraestrutura” ao manterem-se estes por períodos superiores. Atacando o conceito “buy and hold” (manter equipamentos adquiridos o mais tempo possível), o MS menciona a perda de eficiência energética ao não trocar sistemas, as “horas de inatividade não planeadas devido a avarias”, os custos de manutenção aumentarem com a longevidade e o “incremento exponencial da complexidade de gestão, administração e suporte dos sistemas”.

O Ministério ressalva na circular a importância de uniformização no “âmbito das infraestruturas e parque informático”, recomendado o uso da mesma “marca e modelo” para todos os equipamentos da infraestrutura de rede das entidades.

O Ministério da Saúde avisa também as entidades do Serviço Nacional de Saúde para fazerem “pelo menos” um simulacro para falhas de sistema, que deve ser executado todos os anos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Medicina

Mãe e avó

Pedro Vaz Patto

A respeitável intenção de ter um filho não pode levar a fazer deste um objeto de um desejo ou de um direito, a satisfazer esquecendo ou ultrapassado o seu supremo bem.

Pobreza

O dia mundial dos pobres, uma hipocrisia?!

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Com o valor, certamente astronómico, da hipotética venda da Pietà, milhões de pobres, que vivem agora na miséria, poderiam ser significativamente ajudados.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site