Coreia do Sul

Vídeo. Coreia do Sul testa míssil em resposta às ameaças de Pyongyang

116

Depois de a Coreia do Norte ter dito que os vizinhos do Sul "não estão dentro dos eixos" e que merecem um ataque feroz, Seul responde com o primeiro teste - e certeiro - de um míssil.

A escalada militar continua entre as duas Coreias

JEON HEON-KYUN/EPA

Depois de mais um rol de ameaças da Coreia do Norte, foi a vez da Coreia do Sul responder na mesma moeda e fazer o seu primeiro teste de um míssil – lançado a partir do ar para atingir cruzeiros.

O míssil, feito pela alemã Taurus Systems, tem um alcance máximo de 500 quilómetros e está equipado com caraterísticas de ponta que permitem evitar radares até chegar aos alvos na Coreia do Norte. Na quarta-feira, as forças armadas sul-coreanas disseram que o míssil Taurus – lançado a partir de um jato F-15 – viaja através de obstáculos a baixa altitude até atingir um alvo específico.

A Coreia do Sul tem acelerado esforços para reforçar as suas capacidades militares, face à torrente de testes nucleares da sua vizinha do norte. Pouco depois de Pyongyang ter testado a arma nuclear mais poderosa até à data, a 3 de setembro, Seul anunciou que tinha chegado a um acordo com Washington para remover os limites de peso aos mísseis balísticos sul-coreanos e estender o alcance máximo até aos 800 quilómetros.

Um ataque embrionário contra Pyongyang é algo complicado de imaginar, mas esta é a mais realista das limitadas opções que a Coreia do Sul tem para negar um ataque nuclear do rival.

Veja o vídeo do teste do míssil Taurus.

O clima de tensão está cada vez mais elevado entre os dois países, havendo mesmo a suspeita de que a Coreia do Sul esteja a preparar uma brigada especial com o objetivo de eliminar diretamente o líder norte-coreano.

A Coreia do Sul pode estar a treinar uma brigada de eliminação de líder norte-coreano

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Medicina

Mãe e avó

Pedro Vaz Patto

A respeitável intenção de ter um filho não pode levar a fazer deste um objeto de um desejo ou de um direito, a satisfazer esquecendo ou ultrapassado o seu supremo bem.

Pobreza

O dia mundial dos pobres, uma hipocrisia?!

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Com o valor, certamente astronómico, da hipotética venda da Pietà, milhões de pobres, que vivem agora na miséria, poderiam ser significativamente ajudados.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site