Cinema

Academia Europeia de Cinema distingue atriz Julie Delpy com prémio honorário

A atriz e realizadora francesa Julie Delpy vai ser distinguida com um prémio honorário pela Academia Europeia de Cinema. A Academia "reconhece a carreira rica e diversa, à frente e atrás da câmara".

HANNIBAL HANSCHKE/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A atriz e realizadora francesa Julie Delpy vai ser distinguida com um prémio honorário de reconhecimento da sua carreira, numa cerimónia em Berlim, a 9 de dezembro, anunciou a Academia Europeia de Cinema, esta sexta-feira. Em comunicado, a organização responsável pela entrega do galardão sublinhou que este “reconhece a carreira rica e diversa, à frente e atrás da câmara” da atriz de 47 anos. A academia faz, ainda, uma breve retrospetiva da vida profissional de Delpy, que se estreou em longas-metragens com o cineasta Jean-Luc Godard, quando este a integrou no elenco do filme “Máfia em Paris” (1985).

Depois de concluir o curso de realização cinematográfica da Tisch School of the Arts da Universidade de Nova Iorque, Delpy dedicou-se à escrita, direção e representação em mais de 30 filmes, dos quais se destacam “La passion Béatrice” (1987), que lhe valeu uma nomeação para o César de atriz mais promissora. Delpy continuou a chamar a atenção dos críticos com as suas prestações, como atriz, em “La noche oscura” (1989) de Carlos Saura, no qual interpretou o papel de Virgem Maria e em “Europa, Europa” (1990).

Contudo, foi o seu trabalho como adaptadora de argumentos que lhe rendeu duas nomeações para Óscares, primeiro pelo seu envolvimento em “Antes do Anoitecer” (2004) e, mais recentemente, em “Antes da Meia-Noite” (2013), dois trabalhos de uma trilogia antecedidos por “Antes do Amanhecer”, de 1995. As adaptações foram em parceria com o realizador Richard Linklater e o ator Ethan Hawke, sendo que Delpy conquistou também uma nomeação para um Globo de Ouro de Melhor Atriz no caso de “Antes da Meia-Noite”.

A “dedicação impressionante” da francesa ao cinema, principal motivo da atribuição do prémio de carreira, revelou-se também nas seis longas-metragens que Delpy dirigiu, salientando-se “Dois Dias em Paris” (2007), pelo qual voltou a ser apontada para um César, e o filme “O Verão do Skylab”, honrado com um galardão especial da parte do júri do festival de San Sebástian, em 2011.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site