Empreendedorismo

Os empreendedores falham mas recuperam: a Failproof explica como

A Failproof Academy organiza um ciclo de seminários para contornar o fracasso, que arranca esta quarta-feira com o objetivo de reunir empreendedores que vão poder avaliar o risco dos seus negócios.

No passado, os responsáveis do "Contorna o Fracasso" participaram na organização das FuckUp Nights

Mario Pires/FailProof Business Academy

— “O que é isto do fracasso? Podemos contorná-lo?”

A pergunta parte de Pedro Colaço, um dos organizadores do ciclo de seminários “Contorna o fracasso”, da Failproof Business Academy, que arranca esta quarta-feira (dia 20) em Lisboa. Neste evento, empreendedores de todas as áreas e faixas etárias vão poder reunir e perceber que os fracassos “fazem parte da vida”. O objetivo é aprender com os erros, “numa lógica de pedagogia do fracasso”.

“Ninguém vai resolver os erros do passado”, garante Pedro. Ao invés disso, ao longo de seis sessões diferentes vão ser discutidas estratégias preventivas e atitudes a adotar na gerência de um negócio.

A ideia surge pelas mãos da Failproof mas tem raízes num evento internacional de origem mexicana, o FuckUp Nights, que Sofia Ferreira Simões trouxe para Lisboa em 2016. No FuckUp Nights, em vez da estratégia pedagógica, o ambiente é de conversa e partilha, do género “Fracassos Anónimos”. Mas a Failproof pega no conceito e torna-o “mais construtivo”. A última edição do FuckUp Nights Lisboa chegou aos 400 inscritos e contou com 250 participantes. A próxima está prevista para outubro (o pré-registo pode ser feito aqui).

Pedro Colaço juntou-se a Sofia Ferreira Simões “numa fase posterior, quando achava que podíamos fazer mais” e surgiu a Failproof.

Os empreendedores que se registarem neste ciclo de seminários podem avaliar o risco ou solidez de uma ideia ou negócio e “identificar as principais fragilidades”. Com base nos perigos ou riscos que um negócio enfrenta, “é possível educar conscientemente para o fracasso: não se eliminam fracassos, mas evitam-se”, esclarece Pedro.

Não faltam histórias [de fracassos]. A lógica é aprender com os erros. A lógica é construtiva. Porque ouvimos falar de histórias de sucesso e de grandes histórias, mas não ouvimos falar dos percalços.”

É nessa lacuna que surge o ciclo, como explica a apresentação do projeto: “Todos os empreendedores têm um objetivo comum: garantir que o seu negócio não fracassa. Mas empreender é como viajar no espaço numa zona de asteróides; sem um mapa da sua localização as probabilidades estão contra nós.”

A iniciativa “não se vai repetir” no curto prazo, pelo menos. A Failproof também realiza seminários orientados para empresas e nos planos está o mercado universitário: “Está previsto ir para as universidades, mas ainda não foi possível fechar datas”.

O ciclo de seminários “Contorna o fracasso” é de entrada gratuita mas sujeito a inscrição. Em Lisboa, há sessões agendadas até 19 de outubro. As informações sobre cada sessão — e sobre as inscrições — podem ser consultadas aqui.

Editado por Ana Pimentel
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jcosta@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site