Crianças

Seis em cada dez crianças não consomem dose recomendada de fruta e legumes

Mário Silva, o presidente da Associação Contra a Obesidade Infantil, diz que estes números são alarmantes. A região mais preocupante é a dos Açores.

As crianças entre os seis e os sete anos são o grupo que menos consome fruta e legumes

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Seis em cada dez crianças portuguesas não ingerem a quantidade recomendada diária de fruta e legumes, uma situação que atinge níveis mais elevados nos Açores, segundo um estudo da Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI) divulgado esta segunda-feira.

De acordo com o estudo, que envolveu 17.698 crianças com idades entre os dois e os dez anos de escolas e jardins de infância de todo o país, 65% não cumprem a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) para uma ingestão mínima de três porções de fruta e duas porções de legumes diárias.

Esta percentagem sobe para os 68,2% nas crianças com seis e sete anos, disse à agência Lusa o presidente e fundador da APCOI, Mário Silva, sublinhando que “é o grupo que mais se destaca pela negativa, o que menos consome” frutas e legumes.

Analisando as diferenças regionais relativamente à ingestão destes produtos, o estudo observou que a região dos Açores é que apresenta a maior percentagem de crianças com consumo inferior ao recomendado com 84,7%, seguindo-se a região do Algarve (78,2%), da Madeira (69,8%), de Lisboa e Vale do Tejo (66,8%), do Norte e do Alentejo (ambas com 63,4%) e a região Centro (62,5%).

Os investigadores concluíram também que 85,8% dos alunos almoçam diariamente no refeitório da escola e que mais de metade desses alunos (54,5%) disseram não incluir legumes no prato.

Para Mário Silva, “são números muito alarmantes” que obrigam a uma mudança de comportamentos.

“Temos que sensibilizar os pais para a gravidade destes números para que eles se preocupem com este assunto e deem mais relevância àquilo que põem no prato das crianças”, adiantou á Lusa Mário Silva.

Este também é um desafio que a APCOI se propõe fazer em conjunto com as escolas e com os professores, para incentivar “as crianças a comerem legumes no prato na escola e em casa”, sublinhou.

“É extremamente importante que pelo menos na escola as crianças comam legumes, porque depois em casa as realidades são muito diferentes”, defendeu o responsável.

A equipa de investigadores da APCOI analisou os efeitos da implementação da 6.ª edição do projeto “Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável”, no ano letivo 2016-2017, nas alterações de hábitos alimentares dos alunos participantes.

Comparando os dados iniciais com os recolhidos após as 12 semanas de participação no projeto, observou-se que globalmente 41,9% das crianças aumentou o seu consumo diário de fruta.

A investigação da APCOI foi realizada junto de 17.698 crianças de 388 estabelecimentos de ensino de todo o país que integram o projeto da APCOI que já chega a 10% do total de escolas e jardins de infância de todo o país,

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Família

Bons pais fazem asneiras de 8h em 8h

Laurinda Alves

Acrescentar a família com mais filhos sim, mas sem pensar demais, sem perder muito tempo, para não perder também a oportunidade e, sobretudo, para não ceder a argumentos acessórios, longe do essencial

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site