100% português

Comporta Perfumes. Estas histórias cheiram bem

A linha de partida da Costa Alentejana inspirou Pedro Dias a contar histórias com o olfato. A Comporta Perfumes faz história na perfumaria de nicho portuguesa e estes seis frascos são só o começo.

A Comporta não se esgota nestes seis perfumes. A marca já tem novidades na manga.

João Maria

Aos 47 anos, Pedro Dias nunca passou férias na Comporta. No entanto, conhece a vila e a praia como a palma da própria mão. De escapadinha de fim de semana, o destino passou a ponto de partida para a criação de uma marca de perfumaria. Lançada este verão, a Comporta Perfumes tem seis fragrâncias e todas elas contam uma história. “É uma experiência olfativa muito especial. Eu, pelo menos, não conheço nenhuma outra estância balnear na Europa em que não se veja nenhuma casa da praia. Conheço bem a Comporta, mas tive de fazer trabalho de campo”, conta o dono da marca.

Ao contrário do que as primeiras impressões levam a crer, Pedro não é perfumista. Chamemos-lhe antes um vasto conhecedor do mundo dos perfumes. Advogado de formação, passou pela administração de multinacionais, em Portugal e nos Estados Unidos. Entretanto, fartou-se do fato e gravata, criou um blogue e pouco tempo depois começou a dar as primeiras masterclasses. O Sotd Club é o projeto que o põe a falar de perfumes com mais frequência e, no meio de tantas notas guardadas na memória, no ano passado, quis dar largas à própria imaginação. Elaborou os conceitos e foi em busca dos perfumistas ideais.

Dona Bia, Areia Salgada, Mosquito, Muda, Palafítico e Sela. As seis fragrâncias da Comporta Perfumes são vendidas em frascos de 100 ml e custam 118€.

Sem sair da comporta, encontrou seis cenários. Escolheu as notas e entregou-as nas mãos de três perfumistas internacionais: Daniel Josier, que considera ser o mais próximo da perfumaria clássica, Beatrice Aguilar, a quem reconhece complexidade e ao mesmo tempo subtileza, e Luca Maffei, um dos nomes mais promissores da atualidade e capaz de criar as fragrâncias mais surpreendentes. Os profissionais disseram de sua justiça, ajustaram as doses e elaboraram receitas que, ao contrário de quase todos os perfumes à venda nas grandes lojas, são maioritariamente à base de óleos essenciais naturais. O sucesso das seis fórmulas valeu-lhes destaque no rótulo de cada fresco. Para Pedro, os perfumistas têm tudo para ser o próximas estrelas, depois dos chefs de cozinha.

A coleção começa à beira-mar com Areia Salgada, um “shot de felicidade quando se chega à praia”, segundo Pedro Dias. Um aroma cítrico que traz maçã, bergamota, tomilho e cipreste como notas de topo. Com Mosquito, Pedro foi contra todas as regras de marketing. Porque é impossível tirá-los da Comporta, a marca propõe uma fórmula repleta de notas verdes, combinadas com lírio-do-vale e sândalo. As flores chegam com Muda, que transporta Pedro para o perfume usado por um anfitrião que se prepara para receber amigos em casa. Tem notas de laranja, limão, jasmim e folhas de gerânio, mas também café torrado, rosa damascena e açafrão, notas que lhe dão mais densidade e que o afastam dos florais típicos. Para reunir as notas principais de Palafítico, Pedro teve de ir ao porto da Carrasqueira com a maré baixa. O perfume é amadeirado, mas ressaltam as notas de citrinos, folhas de chá e jasmim. Dona Bia e Sela são os mais intensos da coleção. O primeiro é inspirado num dos restaurantes mais típicos da Comporta, onde o cheiro a café ressalta logo à entrada. Dentro do frasco não é diferente. A esta nota juntam-se outras duas, entre elas a menta, as especiarias e o incenso. Dos seis eau de parfum, é o que tem mais óleos essenciais naturais. São 11, no total. O segundo, também não esconde as origens. Nasce dos passeios a cavalo pela praia, daí as notas de couro, mas também de tomilho, açafrão e framboesa.

Em agosto, a Comporta Perfumes chegou à Le Secret du Marais, em Madrid, considerada a melhor loja de perfumaria de autor em Espanha.

Perfumaria de nicho a preços que não são proibitivos. As fragrâncias são unissexo, variam entre os 18% e os 20% de concentração e custam 118€ (100 ml). “Quero que o público português consiga ter mais acesso à perfumaria de nicho e não que o primeiro impacto seja ‘isto é caríssimo'”, afirma Pedro. Em Portugal, a Comporta Perfumes já conta com oito pontos de venda, todos eles a sul. Em Lisboa, podem ser encontrados na Loja das Meias, na 21pr, na República das Flores e na Pura Cal. Em Madrid, a marca já chegou a três perfumarias de referência. Nos próximos seis meses, Pedro conta chegar aos mercados russo, inglês e italiano.

A produção está em Barcelona, mas não é por isso que estes perfumes ficam menos portugueses. Com Comporta no nome, a marca não pretende esquecer a sua musa. Pedro já tem pelo menos mais seis na cabeça, mas até ao lançamento ainda há muito que explorar. O próximo passo é pegar nas fragrâncias iniciais e lançá-las na forma de perfume sólido, em óleo e até para a casa.

Nome: Comporta Perfumes
Data: 2017
Pontos de venda: são oito, todos no sul do país (pode ver a lista aqui)
Preço: 118€

100% português é uma rubrica dedicada a marcas nacionais que achamos que tem de conhecer.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site