Dívida Pública

IGCP vai ao mercado para emitir até 1.250 milhões de euros em Obrigações do Tesouro

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública realiza na quarta-feira dois leilões de Obrigações do Tesouro com maturidades em 2022 e 2027, procurando arrecadar até 1.250 milhões de euros.

O Estado espera arrecadar até 2.750 milhões de euros em dívida de curto prazo até ao fim do ano

ENNIO LEANZA/EPA

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) realiza na quarta-feira dois leilões de Obrigações do Tesouro com maturidades em 2022 e 2027, procurando arrecadar até 1.250 milhões de euros.

Em comunicado, a agência que gere a dívida pública portuguesa adianta que os dois leilões das linhas de Obrigações do Tesouro – com maturidade em 17 de outubro de 2022 e em 14 de abril de 2027 e com um montante indicativo global entre 1.000 e 1.250 milhões de euros — decorrerão pelas 10h30.

No anterior leilão de Obrigações do Tesouro, que ocorreu a 13 de setembro, o IGCP colocou 850 milhões de euros em Obrigações do Tesouro a 10 anos à taxa de juro de 2,785%, inferior à verificada no anterior leilão comparável de julho (3,085%), tendo a procura atingido 1.747 milhões de euros, o dobro do montante colocado.

Segundo Filipe Silva, diretor da gestão de ativos do Banco Carregosa, “este financiamento teve os custos mais baixos desde final de 2015, um ano em que as taxas das emissões foram muito baixas”.

Segundo o programa de financiamento do quarto trimestre deste ano divulgado na segunda-feira pelo IGCP, o Estado espera arrecadar até 2.750 milhões de euros em dívida de curto prazo no último trimestre deste ano, com a realização entre outubro e dezembro de leilões de Bilhetes do Tesouro num montante que oscila entre os 2.250 e os 2.750 milhões de euros.

Quanto a emissões de longo prazo, a agência liderada por Cristina Casalinho disse prever realizar no último trimestre deste ano emissões de Obrigações do Tesouro num valor entre 1.000 e 1.250 milhões de euros por cada leilão.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site