iPhone

iPhone 8 Plus: o melhor iPhone de sempre, pelo menos até novembro

181

Em setembro, a Apple cometeu a proeza de apresentar um novo iPhone e de o desatualizar 20 minutos depois. Até novembro, quando sair o X, o iPhone 8 Plus é “o melhor de sempre”.

Todos os anos a mesma conversa: “este é o melhor iPhone de sempre”. Em setembro, a empresa que inventou o smartphone tal como o conhecemos hoje, deu um salto na sequência e apresentou o iPhone 8 e o iPhone X, a edição especial que marca o 10º aniversário. A Apple quis deixar claro que o salto tecnológico relativamente ao modelo anterior (iPhone 7) justificava deixar cair o 7s e foi diretamente para iPhone 8 e 8 Plus.

Logo de seguida apresentou o iPhone X, esse sim, de outro campeonato: perdeu o botão Home, introduziu (no iPhone) outras formas de biometria e rendeu-se ao ecrã OLED, com imagem de ponta a ponta do dispositivo. Mas até ser novembro, o iPhone 8 Plus é, mesmo, o topo de gama e o melhor de sempre.

São várias as características que saltam à vista no iPhone 8 Plus: o corpo em vidro para permitir o carregamento sem fios (uma novidade para a Apple); as cores do ecrã de 5,5 polegadas com tecnologia “true tone”, que adapta a cor e luminosidade à luz ambiente; a qualidade da dupla câmara, com destaque para o modo retrato; e a velocidade a que tudo acontece. O novo processador A11 Bionic, apresentado como o mais poderoso num smartphone, é bem capaz de o ser.

iPhone 8 Plus

A favor

  • Processador
  • Ecrã
  • Câmara
  • Carregamento sem fios

Contra

  • Preço

O iOS 11 corre sem um engasgo no 8 Plus, o que não é de espantar num novo iPhone: de dois em dois anos começam a ficar lentos, o que é como quem diz, a cada duas atualizações do sistema operativo o processador deixa de ser completamente eficiente. Não só isso não acontece no iPhone 8 Plus (que tem, alegadamente, 3 GB de RAM), como tem o músculo capaz de o lançar para o voo alto que é a realidade aumentada.

A eficiência da máquina sente-se bem na velocidade a que se descarrega e instala uma aplicação, bem como pelo tempo que demora a instalar uma atualização do sistema operativo. Numa comparação “a olho” entre o iPhone 6s Plus e o 8 Plus, medimos o tempo que demorou a fazer a instalação do iOS 11.0.2 e, sem surpresas, o 6s demorou mais dois minutos que o 8 Plus. Parece pouco, mas não é, estes dois minutos traduzem uma grande diferença na capacidade de processamento.

A Apple diz que este é melhor processador alguma vez montado num smartphone. A avaliar pelas medições feitas por especialistas, o iPhone 8 é mais rápido que a gama de entrada do Macbook Pro — e arrasa a concorrência direta.

O carregamento sem fios chegou finalmente à Apple, um passo há muito esperado e que pode bem dar um impulso à tecnologia. Felizmente, a Apple optou por um sistema universal. A base da marca chama-se AirPower mas só vai estar à venda em 2018, por isso experimentamos com uma base Qi Standard da Samsung, já com dois anos. Funcionou perfeitamente.

A câmara fotográfica volta a estar em destaque no 8 Plus. Tecnicamente tem características idênticas ao anterior 7 Plus, mas a qualidade final da fotografia e do vídeo melhoraram, em parte graças à capacidade de processamento.

O novo “modo retrato” pode bem ser um dos principais argumentos da nova câmara dupla do 8 Plus e tira partido, precisamente, do processador A11. A Apple melhorou a análise de profundidade da imagem e adicionou filtros de luz e cor aos retratos, o que permite obter retratos de grande qualidade. Apetece dizer que o 8 Plus belisca os resultados obtidos por profissionais, que é uma espécie de fast food gourmet. Não é a mesma coisa, mas disfarça muito bem.

A qualidade geral da câmara do iPhone 8 Plus é inquestionável e não é só para o utilizador comum: a DxOMark dá-lhe 94 pontos, mais dois que o iPhone 8 — e menos quatro que o novo Google Pixel 2, apresentado esta semana. Encontra alguns exemplos na fotogaleria no topo.

Têm sido relatados alguns problemas com a bateria do iPhone 8 Plus, ainda não completamente compreendidos. Para já é uma mão cheia de casos de utilizadores que relatam “baterias inchadas” que fazem descolar o ecrã do corpo do telemóvel, um problema de que a Apple já tem conhecimento oficial.

Muitos utilizadores deram conta que a atualização para o sistema operativo iOS 11 fez reduzir a autonomia de muitos equipamentos, mas não notámos nenhuma comportamento anormal no iPhone 8 Plus. A bateria garante, sem esforço, mais de um dia de utilização regular. Já ninguém estranha ter de carregar o telemóvel diariamente, pelo que, até que surja uma nova tecnologia, o carregamento rápido e o carregamento sem fios vêm amenizar o problema.

Na apresentação do novo iPhone, em setembro, a Apple assumiu que a realidade aumentada está na lista de prioridades — não são os primeiros a investir nesta tecnologia, mas têm a força que os outros não têm. A variedade de aplicações disponíveis ainda é relativamente pequena, mas a evolução está a acontecer rapidamente, pelo que o novo A11(outra vez o processador, lá está) está bem preparado para dar conta do recado. Entre jogos e ferramentas de medição e desenho experimentámos cinco aplicações, todas correram sem falhas.

Contas feitas, apesar de ser “o melhor de sempre”, o iPhone 8 Plus sabe a mais do mesmo. Por um lado, porque é esteticamente muito semelhante à versão anterior (apesar da traseira em vidro) e os olhos comem muito. Por outro, e apesar da evolução tecnológica evidente, não é o suficiente para que o utilizador “comum” com um 7 Plus no bolso notar a diferença; já um utilizador avançado notará uma grande evolução no desempenho — consulte as especificações técnicas.

Acresce a isto o facto de já ter sido lançada a semente chamada iPhone X. Lançada a provocação, é difícil esquecermo-nos disso. Seguindo o padrão de renovação comum que é a troca de dois em dois anos, calha bem a comparação a quem tem agora um 6s Plus — ou qualquer modelo anterior. Só aos mais endinheirados será de ponderar a troca do 7 Plus pelo 8 Plus, para os restantes utilizadores, o salto justifica-se — desde que tenha 939€ para gastar.

Se vale a pena esperar pelo iPhone X? Para os early adopters, dispostos a serem os primeiros a darem o salto para as novas tecnologias, seguramente que sim. Para os que preferem jogar pelo seguro e optam pelo que se conhece e dá garantias, os novos iPhone 8 e 8 Plus são a melhor opção.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: pesteves@observador.pt
Inovação

A emergência do 4º setor

António Covas

Neste século XXI temos de decidir sobre a dosagem de Estado Social (mais dívida, impostos e emprego público) e de economia colaborativa e partilhada (menos impostos, mais emprego privado e partilhado)

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site