Caso José Sócrates

Do Euro 2004 ao YouTube. A vida pública de Sócrates em 32 imagens

133

Trouxe o Euro 2004 a Portugal, chamou a troika, viu a licenciatura ser posta em causa e depois foi detido por suspeitas de corrupção. Agora é acusado de 31 crimes. Os principais momentos em imagens.

Chegou ao Governo português aos 38 anos quando António Guterres o chamou para assumir o cargo de secretário de Estado Adjunto do Ministro do Ambiente, uma pasta que pertencia em 1995 a Elisa Ferreira. Atrás de si, José Sócrates já tinha uma caminhada pela política: fora membro-fundador da Juventude Social Democrata, depois, já no PS, defendeu o nudismo enquanto deputado na Assembleia da República por Castelo Branco e chamou a atenção dos líderes políticos do PS quando se tornou porta-voz de assuntos ambientais do partido em 1991. 19 anos mais tarde, tornar-se-ia no primeiro ex-primeiro-ministro português a ser detido pelas autoridades.

Na história do país, Sócrates deixou assinatura: foi ele quem negociou com a UEFA a candidatura de Portugal à realização do Euro 2004 em Portugal — apesar das acusações de subornos feitos por Carlos Cruz — e conquistou a primeira maioria absoluta do PS. Enquanto primeiro-ministro, passou do “Porreiro, pá!” da Cimeira de Lisboa para chamar a troika em 2011, pouco depois de ter pedido a demissão no meio de uma crise política e financeira em Portugal. Pelo meio, ainda viu o título de engenheiro ser posto em causa no âmbito do processo da Universidade Independente, já que conclui uma das cadeiras da licenciatura ao domingo.

Saiu do Governo para ir para Paris estudar Filosofia, onde viveu mais de um ano em apartamentos de luxo e escreveu um livro, José Sócrates foi detido por suspeita de crimes de branqueamento de capitais e corrupção no âmbito da Operação Marquês. Esteve quase um ano na prisão de Évora, saiu para prisão domiciliária e começou a reaparecer depois em actos públicos. Mais de um mês depois de ter lançado um vídeo no YouTube onde reafirmava ser vítima de uma perseguição pelo Ministério Público — algo que tem repetido desde o início do processo — José Sócrates foi acusado de 31 crimes num despacho de quase 4 mil páginas a que o Observador teve acesso.

Veja na fotogaleria a vida política de José Sócrates em 32 passos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Caso José Sócrates

Quid custodiet custodiam?

Luís Ribeiro
423

Agora que o puzzle está claro, quanto será reaberto o inquérito ao crime contra o Estado de Direito para conhecermos a cumplicidade dos que então eram os mais altos responsáveis da Justiça portuguesa?

Estado

O Estado e a verdade

Rui Ramos

Este é um Estado que teve seis anos José Sócrates à frente do governo, carregado de suspeitas de corrupção, mentira e conspiração contra o Estado de direito – e nada fez para esclarecer as dúvidas.

Estado

O Estado e a verdade

Rui Ramos

Este é um Estado que teve seis anos José Sócrates à frente do governo, carregado de suspeitas de corrupção, mentira e conspiração contra o Estado de direito – e nada fez para esclarecer as dúvidas.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site