PSD

PSD. Hugo Soares não vai apoiar quem “desperdiçar” a herança de Passos Coelho

754

O líder parlamentar do PSD, o deputado Hugo Soares, diz que não irá apoiar o candidato à liderança do PSD que "desperdiçar" a herança de Passos, que é "o maior legado que alguma vez o partido teve".

JOÃO RELVAS/LUSA

Mais sobre

O líder parlamentar do PSD, Hugo Soares, garante que não apoiará o candidato à liderança social-democrata que “desperdiçar o maior legado” do partido, a herança de Passos Coelho.

“O candidato do PSD que desperdiçar o maior legado que alguma vez o partido teve, que é a herança que Pedro Passos Coelho nos deixa — de seriedade, de credibilidade, de um homem de Estado, de um primeiro-ministro que herdou o país em pré-bancarrota, que salvou o país, libertou-se da troika, pôs o país a crescer — o candidato que entender que isto vale zero, então esse terá sempre a minha oposição”, defendeu Hugo Soares, em declarações à RTP.

O deputado social-democrata falou dos dois candidatos conhecidos para já e desvalorizou as diferenças entre ambos. “Rui Rio foi vice-presidente de Santana Lopes, Santana Lopes foi primeiro-ministro, Rui Rio foi presidente de câmara municipal. Têm percursos diferentes mas estão os dois há muito tempo na vida política ativa“, afirmou.

“Os dois têm uma forma de estar na vida política muito diferente, mas não é isso que deve levar a que os militantes do PSD possam escolher”, destacou ainda Hugo Soares.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PSD

A doença infantil do centrismo

João Marques de Almeida

Depois do que aconteceu na última semana, o resultado das próximas eleições está agora em aberto. Se a geringonça falhar, só há uma alternativa política: a direita. Não será certamente o centro.

CDS-PP

A moção e a censura de um país

José Pinto

A Constituição não limita o direito à censura por parte dos cidadãos. É a essa censura – e revolta indignada - que nenhum Governo pode fugir. Face à censura coletiva, a discussão da moção nada adianta

Incêndios

O fogo e o papel de Portugal

José Barbedo

Enquanto a ocorrência de fogos faz parte do ciclo natural das florestas, a escala dos incêndios que tem ocorrido ao longo das últimas duas décadas era totalmente desconhecida no passado.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site