Estados Unidos da América

Cabelo azul e Kurt Cobain. Ivanka Trump confessa ter tido uma “fase punk”

A filha de Donald Trump recordou a sua "fase punk", que incluiu uma adoração por Kurt Cobain e pintar o cabelo de azul. Mas há quem ponha em causa a veracidade do episódio capilar.

YARA NARDI / POOL/EPA

Ivanka Trump, à semelhança de muitas adolescentes, também passou por uma “fase punk” durante a adolescência. A confissão é feita pela própria no livro autobiográfico da mãe, Ivana Trump, publicado no passado dia 10. “Durante a minha fase punk nos anos 90, gostava muito de Nirvana. O meu guarda-roupa consistia em calças de ganga rasgadas e camisas de flanela”, conta a filha do Presidente dos Estados Unidos no livro “Raising Trump”.

Nesta altura, Ivanka chegou mesmo a pintar o cabelo de azul — algo a que a mãe não achou muita graça. “Um dia depois da escola, pintei o meu cabelo de azul. A mãe não gostou desta decisão. Olha para mim e saiu logo em direção à drogaria mais perto para comprar uma caixa de Nice n’ Easy [tinta para pintar o cabelo] de 10 dólares. Nessa noite, ela obrigou-me a pintar outra vez o meu cabelo para loiro.”

O único problema é que a cor escolhida por Ivana Trump não era exatamente o mesmo tom da cor de cabelo da filha, mas isso não foi um problema. “A cor que ela escolheu era na verdade três tons mais clara do que a minha cor natural… E nunca mais voltei atrás!”

Contudo, várias publicações estão a pôr em causa a veracidade desta história: “Não se pode simplesmente passar de um cabelo azul para louro com Nice n’ Easy. Pode ficar verde, mas é só isso”, lê-se num artigo do jornal inglês The Guardian. “Nota do editor: estamos a perguntar a especialistas qual a maneira mais eficaz de passar de um cabelo azul para loiro com apenas uma caixa de tinta para cabelo comprada numa drogaria”, refere a revista People. “Temos um pressentimento de que a parte que falta desta história envolve um trabalho caro de cabeleireiro”, acrescenta a revista The Cut.

Ivanka estava precisamente a passar por esta “fase punk” quando morreu o vocalista dos Nirvana, Kurt Cobain. Um episódio que provocou um enorme desgosto à filha de Donald Trump e que foi desvalorizado pela mãe.

“Não foi muito tempo depois disto que Kurt Cobain, cantor, compositor e guitarrista dos Nirvana, se suicidou. Foi um choque e eu fiquei destroçada. A mãe não fazia a mínima ideia de quem era Kurt Cobain, e não se compadeceu muito. Depois de 24 horas a chorar no meu quarto, sozinha — um enorme melodrama –, a mãe teve de me tirar de lá para ir jantar.”

A alegada fase “punk” de Ivanka, agora conhecida tem sido alvo de várias críticas e comentários jocosos que colocam em causa a veracidade da história – e fazem-no recordando imagens dessa altura, em que a então adolescente filha de Ivana e Donald Trump surgia em eventos com um estilo mais próximo do atual do que de qualquer punk. E as redes sociais não poupam mesmo a filha do presidente norte-americano, como descreve a Buzz Feed.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rporto@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site